BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CAMPANHA: Cerca de 90% dos produtores já declararam rebanho à Idaron

O prazo, que termina neste próximo domingo (15), não será estendido, segundo alerta a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron)

ASSESSORIA

12 de Novembro de 2020 às 14:15

Foto: Divulgação

O produtor rural que ainda não declarou seus rebanhos suscetíveis à Febre Aftosa ao serviço veterinário oficial do Governo de Rondônia, em cumprimento à segunda etapa da campanha de declaração obrigatória, tem apenas mais quatro dias para fazê-lo. O prazo, que termina neste próximo domingo (15), não será estendido, segundo alerta a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron).
 
De acordo com a Gerência de Defesa Sanitária Animal (GDSA), da Idaron, de um rebanho de mais de 123 mil cabeças de bovinos e bubalinos, quase 90% já foram declaradas, cerca de 110 mil animais.
 
“É importante que todo produtor rural que crie animais suscetíveis à febre aftosa faça a declaração imediata dos rebanhos. A medida não é um simples quantificador de rebanho, mas uma forma eficaz que possibilita ao serviço veterinário do Governo controlar dados da entrada e saída de animais, para garantir a sanidade do rebanho”, explicou o médico veterinário Fabiano Alexandre dos Santos, titular da GDSA/Idaron.
 
O presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres, destacou o empenho e parceria dos produtores que, entendendo a importância desse trabalho, já atenderam à convocação da Agência e declararam seus rebanhos.
 
A regional de Porto Velho, que compreende os municípios de Nova Mamoré, Guajará-Mirim, Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste, Porto Velho e os distritos de Extrema, Nova Califórnia, Vista Alegre, Jaci-Paraná, União Bandeirantes, Calama, Surpresa, Palmeiras, Nova Dimensão e Triunfo, tem o maior número de produtores que ainda não declararam, restando 17% dos rebanhos.
 
A regional de Vilhena está mais adiantada no número de declaração, faltando apenas 10% do rebanho declarável. “Além da sanidade animal, a medida agrega mais valor comercial ao nosso rebanho, que hoje ultrapassa os 14,3 milhões de cabeças. É um serviço que beneficia tanto o produtor quanto a indústria, além da economia do Estado que, com a abertura de novos comércios, garantida pela qualidade de nossa carne, aumenta a receita”, destacou o presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres.
 
Lembrando que devem ser declarados os rebanhos de bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos (animais suscetíveis à febre aftosa), além de equídeos e aves. A declaração pode ser feita pela internet, no site da Idaron, por e-mail (de cada regional ou ULSAV) e pelo WhatsApp (de cada regional ou ULSAV).
 
“A declaração atende a exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tem total apoio do governador, coronel Marcos Rocha, e é uma etapa importante para que Rondônia se firme internacionalmente, com reconhecimento da OIE (Organização Mundial da Saúde Animal), como área livre de aftosa sem vacinação”, destaca Julio Cesar.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS