BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PARCERIA: Equipamentos da Idaron serão utilizados pelo Ifro para classificação vegetal

Equipamento é usado no trabalho de certificação de padrão e qualidade dos produtos e sub produtos de origem vegetal, como arroz, feijão, milho e café

GOVERNO DE RO

22 de Setembro de 2020 às 10:55

Foto: Divulgação

A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado (Idaron) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) unem esforços para melhorar a estrutura de ensino e serviços disponibilizada à população. Através de um termo de cooperação técnica, assinado nesta última segunda-feira (21), as duas instituições estão aparelhando os laboratórios do Ifro, para utilização tanto na classificação vegetal, feita pela Idaron, quanto na formação profissional de novos classificadores.
 
“O equipamento é da Idaron e é usado no trabalho de certificação de padrão e qualidade dos produtos e sub produtos de origem vegetal, como arroz, feijão, milho e café. Como a demanda nos laboratórios da Agência é pequena, para que esses aparelhos não fiquem ociosos, a Idaron firmou parceria com o Ifro e os transferiu para os laboratórios do Instituto Federal, que são amplos e careciam da tecnologia para atuar na formação técnica de classificadores”, explicou o gerente de Inspeção e Defesa Sanitária Vegetal, Jesse de Oliveira Junior, acrescentando que “além do serviço de certificação continuar à disposição dos cidadãos e empresas rondonienses, os equipamentos de laboratório servirão para que o Ifro melhore a estrutura de ensino disponibilizada aos produtores e suas famílias”.
 
O Termo de Cooperação Técnica nasceu de iniciativa da Gerência de Defesa Vegetal da Idaron. “O serviço de classificação vegetal não é um serviço que pode ser prestado exclusivamente por agências do Governo, é um serviço que pode ser prestado pela iniciativa privada, então, essa parceria permitirá a formação de mão de obra para ter esse serviço especializado dentro do Estado, aumentando a quantidade de técnicos em todas as regiões”, avaliou Jesse de Oliveira Junior.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS