BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

RONDÔNIA: Região do Cone Sul recebe nitrogênio para melhorar produção leiteira

Fornecimento irá fomentar e intensificar atividade de melhoramento genético

AGRO RONDÔNIA

21 de Julho de 2020 às 14:35

Foto: Divulgação

 

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater Rondônia), iniciou a primeira etapa de fornecimento de nitrogênio para municípios do sul do Estado, visando fomentar e intensificar atividade de melhoramento genético para o aumento da produção dos rebanhos leiteiros da região. As 14 botijas abastecidas com nitrogênio e entregues já atenderam 20 produtores dos municípios de Cabixi e Vilhena.

 
A Emater Rondônia está fornecendo nitrogênio para todos os municípios de Rondônia, através de duas fábricas: uma sendo localizada em Porto velho, e outra em Ouro Preto do Oeste e, futuramente, será ativada a indústria de nitrogênio localizada em Colorado do oeste, em parceria com a prefeitura municipal.
 
“A revitalização da indústria de nitrogênio de Colorado do Oeste irá servir os municípios da região do Sul de Rondônia atendendo a todos os produtores que necessitarem do insumo, no caso, o nitrogênio”, informou o extensionista rural da Emater de Colorado do Oeste, Carlos Eduardo Garcia.
 
O nitrogênio líquido é coletado a partir das moléculas suspensas no ar, captadas por uma máquina separada e armazenadas em depósitos criogênicos. Possui uma temperatura de 197 graus negativos com uma impressionante capacidade de congelamento. “O nitrogênio líquido é utilizado para manter congelado material genético humano, animal e vegetal. Também é utilizado na agricultura de diversas formas. Na pecuária leiteira e de corte é utilizado, em sua grande maioria, para conservação de sêmen, óvulos e embriões utilizados para reprodução”, explicou Eduardo.
 
O fornecimento de nitrogênio para produtores rurais iniciou com o Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira (Proleite) em 2007, criado pela Seagri, para atendimento de produtores, através do Projeto Inseminar, que teve como intuito principal a melhoria da qualidade dos rebanhos leiteiros, visando aumentar grandemente a produção leiteira, os ganhos financeiros dos produtores rurais e alavancando ainda mais a atividade no Estado.
 
“Esse programa contribuiu muito para diversos produtores rurais, onde anteriormente tinham vacas em seus rebanhos com produção leiteira de 2,5 litros a 7 litros por vaca e, atualmente, temos produtores com vacas produzindo de 20 a 50 litros por dia e novilhas produzindo entre 15 a 30 litros por dia, sendo estas melhoradas através de inseminação artificial, fruto do Proleite”, contou o extensionista Carlos Eduardo. Colorado do Oeste possui atualmente cerca de trinta produtores que realizam inseminação do próprio rebanho e outros que pagam veterinários para realização do processo de inseminação por uso de protocolo hormonal (IATF).
 
“Nós estamos reativando as usinas para atender o produtor rural e intensificar as ações de fortalecimento do programa de melhoria genética do rebanho leiteiro de nosso Estado. Essa ação é uma determinação do governo do Estado, que tem se empenhado muito para que as usinas voltassem a funcionar. As usinas de nitrogênio instaladas na região de Ouro Preto voltaram a funcionar no início do ano e hoje estamos fornecendo nitrogênio para os produtores”, contou o secretário da Seagri, Evandro Padovani.
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS