Momento Lítero Cultural - Por Selmo Vasconcellos

 

 

Lamentamos a morte prematura da escritora Thaís Matarazzo em 11 de janeiro de 2023.

Fica a lembrança dela na entrevista realizada em 2016. Descanse em Paz!

 

THAIS MATARAZZO –  São Paulo, SP – 2016.

 

SELMO VASCONCELLOS - Quais as suas outras atividades, além de escrever?
THAIS MATARAZZO -
Sou jornalista, escritora, pesquisadora cultural e palestrante. Atualmente sou a presidente da Editora Matarazzo sediada em São Paulo, SP.

 

SELMO VASCONCELLOS - Como surgiu seu interesse literário?
THAIS MATARAZZO -
Desde a infância meus pais me incentivaram à leitura. Me lembro que em criança carregava uma boneca num braço e um livro no outro. Aos cinco anos já lia e escrevia, a leitura sempre foi minha paixão. Mas descobri meu dom para a escrita aos 17 anos quando escrevi meu primeiro trabalho, sobre a cantora Aurora Miranda (1912-2005).

 

SELMO VASCONCELLOS - Quantos e quais os seus livros publicados?
THAIS MATARAZZO -
Tenho 14 livros solos publicados e diversos artigos e crônicas que constam em revistas especializadas e nas coletâneas da Editora Matarazzo, da qual sou organizadora. Cito, entre outros livro da minha seara, "Artistas Negros da Música Popular e do Rádio", "Fado no Brasil: Artistas Memórias & Canções", "A Música Popular no Rádio Paulista, 1928-1960", "O Porto e eu", "São Paulo: presença da saudade", estes dois últimos com prefácio do meu querido amigo o poeta Paulo Bomfim.

 

SELMO VASCONCELLOS - Qual (is) o(s) impacto(s) que propicia(m) atmosfera(s) capaz(es) de produzir poesias?
THAIS MATARAZZO -
Comecei a escrever poesias aos 17 anos, num momento que estava apaixonada... Mas depois dessa fase inicial demorei muito para escrever outros poemas. Não me considero uma poetisa... De vez em quando tenho inspirações e escrevo alguns versos...

 

SELMO VASCONCELLOS - Quais os escritores que você admira?
THAIS MATARAZZO -
Admiro muitos escritores e poetas, entre eles cito alguns muito queridos: Tatiana Belinky, Paulo Bomfim, Mário Quintana, Ary Vasconcelos, Antônio Aleixo e Agustina Bessa-Luis.

 

SELMO VASCONCELLOS - Qual mensagem de incentivo você daria para os novos poetas?
THAIS MATARAZZO -
Penso que quem gosta de escrever ou sente impulso para tal, deve fazê-lo espontaneamente e sem receio. É claro que você melhora sua produção literária a partir do momento que você a pratica. Então, recomendo a quem gosta de escrever, seja para qualquer gênero literário, que mostre seus textos ou poesias para pessoas próximas, saiba escutar sugestões e conselhos, não fique tímido em mostrá-las porque essa etapa faz parte do processo. As artes em geral é um dos grandes momentos de prazer da vida.... Por isso, viva a Literatura!

Três poesias inspiradas em figuras históricas.

 

TRIBUTO A NHÁ CHICA

 

Nos montes das Gerais
Há pouco mais de dois séculos
A brilhar veio ao mundo

 

Chica ou Francisca de Paula de Jesus
História fez por sua fé e bondade
Irradiou fé e esperança pelo Brasil
Consagrada aos céus foi Nhá Chica,
Assim como Deus, nosso pai, quis...

******
CINCO IRMÃOS
(14/8/2016)

 

(Quadras dedicadas aos irmãos Romanov: Olga, Tatiana, Maria, Anastácia e Alexei, filhos do último czar da Rússia)

 

Curtas vidas tiveram
Os irmãos Romanov
Quatro meninas faceiras
E um menino nobre.

 

Olga e Tatiana
Maria e Anastásia
“Meu trevo de 4 folhas”,
A mãe sempre afirmava.

 

Alexei era o caçula
Pobre criança enfermiça
Neto da Rainha Vitória
Portador de hemofilia.

 

As quatro grã-duquesas
E o jovem príncipe herdeiro
Nasceram em São Petersburgo
Legatários de um grande reino.

 

Olga Nikolaevna
Foi a primogênita
Romântica e ingênua
Fruto de um grande amor.

 

Tatiana, a mais bela,
Herdou os traços de Alix
Moça prática e reservada
Com ares de imperatriz.

 

Maria, filha do meio,
Era bastante insegura
Seus belos olhos azuis
Irradiavam ternura... doçura...

 

Anastásia Romanov
Possuía forte personalidade
Sua alma se traduzia
Em alegrias e traquinagens.

 

Alexei foi desejado
Pelos czares e pelo povo
Mas não cumpriu o seu ciclo
Falecendo muito novo.

 

Viviam os cinco irmãos felizes,
Sempre juntos e fora da realidade
Entre os muros do palácio
Luxo, riqueza e divertidas viagens.

 

Lá fora o povo clamava
Por um pedaço de pão
Cercado de guerras e misérias
Mortes e destruição.

 

Na Europa do século XX
Muitas monarquias caíram:
Na Rússia não foi diferente
Tudo ficou estremecido.

 

Os dias de desordens
Chegaram junto com a revolução
Os czares foram destronados
Tornando-se meros cidadãos.

 

“Isso é o fim do mundo!”,
Disse Alexandra, a czarina.
Não acreditava na mudança
Prevendo desventura e andança...

 

Aflito com o futuro da família,
Nicolau II, agora antigo czar,
Pediu a Deus perdão por seus pecados
E proteção para seus filhos dar.

 

Da capital a Sibéria
Os cinco irmãos exilados
Junto aos pais viveram
Ano e meio angustiados.

 

Sofreram privações e humilhações
Daqueles que vivas antes lhes davam
Suas vidas foram ceifadas
Durante um cruel assassinato.

******
TRÊS IRMÃOS

 

(Dedicados aos filhos de D. Pedro I)

 

Em vida não se conheceram
Os três irmãos imperiais
Todos filhos de D. Pedro I
De diferentes relações conjugais.

 

Hoje estão todos reunidos
Descansam no sono celestial
No Convento de Santo Antônio
Dentro da cripta imperial.

 

D. João Carlos Barromeu
Nasceu Princípe da Beira
Viveu apenas dez meses
Antes da nossa Independência.

 

D. Paula Mariana
Inocente criança enfermiça
Sereníssima Princesa
Aos nove anos deixou a vida.

 

Na Pérola do Atlântico
Faleceu a Princesa do Brasil
D. Maria Amélia, de pertinaz doença,
Aos 21 anos de idade sucumbiu.

Direito ao esquecimento

O que você irá fazer neste carnaval?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS