BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Momento Lítero Cultural - Por Selmo Vasconcellos

Por Selmo Vasconcellos

24 de Novembro de 2020 às 09:14

Foto: Divulgação

 

PAULO REIS – Nova Friburgo, RJ.

Paulo Reis, 1964, é natural de São José do Ribeirão, Bom Jardim-RJ, e residente em Nova Friburgo-RJ desde 1985. É formado em Letras, casado e pai. Profissionalmente, trabalhou por 34 anos em transporte coletivo, ocupando diversas funções. Sua atividade literária começou no início dos anos 2000, durante o ensino médio. Possui poemas publicados em coletâneas, jornais e websites. Em 2007, participou como poeta convidado da Revista Academia, edição especial em comemoração aos 60 anos da Academia Friburguense de Letras.

 

ESCALA

 

Folha seca

num regaço ralo

menino de rua

provoca arrepio.

 

Imagem vazia

um saco de vento

sobra de gente

jogada ao relento.

 

Fera acuada

ferida do centro

a contramão da Zona Sul

futuro morador de Bangu.

***

MINHA EXPRESSÃO

 

Transpira nos meus versos

o pulsar de um coração.

É o meu grito calado,

correndo de mão em mão.

***

QUEIMADAS

 

Sob mãos de satanás

o inferno nas florestas.

***

QUERO

 

Quero

me guiar nos seus olhos

me alimentar nos seus beijos

me encantar com o seu sorriso

me acolher nos seus braços

me aquecer com o seu calor

me acender com o seu fogo

adormecer nos seus lençóis

e despertar com a sua voz.

***

PASSAGEM

 

A vida é morte em estágios.

A cada dia, morro um pouco.

O punhal que me fere,

crava-me na alma.

A dor que sinto

não se revela

em gritos.

 

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS