BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AÇÃO RÁPIDA: Major PM Suffi conta detalhes da prisão de ladrões de banco em Rondônia

A Polícia Civil não recebeu a ocorrência sob alegação de não ser competente para tal registro no município, sendo necessário encaminhar os indivíduos para a Central de Flagrantes, em Porto Velho

Major PM Suffi/5°Batalhão

28 de Setembro de 2020 às 20:09

Atualizada em : 28 de Setembro de 2020 às 20:14

Foto: RONDONIAOVIVO

No último sábado (26), seis homens tentaram arrombar o cofre da agência do Banco do Brasil localizada no município de Mirante da Serra (RO), mas não obtiveram êxito, e ainda acabaram presos após uma rápida e eficaz ação conjunta de forças policiais.
 
Enalteço todo o mérito da Polícia Militar de Rondônia (PMRO) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Rondônia que, juntas, fizeram todas as diligências e, em poucas horas, conseguiram localizar e prender os envolvidos na ação criminosa. 
 
O gerente da agência ligou para a Polícia Militar, informou que estava acontecendo um arrombamento no banco e que dois indivíduos estariam dentro da sala dos cofres.  Imediatamente, foi acionado o quartel da PM em Mirante da Serra, e militares realizaram a averiguação no local.
 
Foram constatados o arrombamento da parede e de diversas portas, e subtração de duas armas tipo revólver, calibre 38, e 18 munições de mesmo calibre, mas os indivíduos não conseguiram arrombar os dois cofres e os cincos caixas eletrônicos, e fugiram do local.
 
No mesmo dia, um carro foi encontrado abandonado na região. A placa estava adulterada. A guarnição da PM estava no local colhendo mais informações do veículo, quando um guincho da cidade de Mirante da Serra chegou para remover o carro. O funcionário informou que recebeu uma ligação contratando o serviço para levar o veículo até Jaru. 
 
Os policiais anotaram o número de celular e repassaram as informações do furto à PRF em Itapuã do Oeste, alertando que possivelmente os autores passariam pela Unidade Operacional de Policiamento (UOP) no município. Assim, com o apoio de guarnição do 5º BPM (Batalhão Belmont), foram efetuadas diversas abordagens em frente à unidade.
 
Ao abordar um veículo com cinco ocupantes, todos apresentavam muito nervosismo e respostas desconexas às perguntas feitas pelos policiais, o que aumentou o nível de suspeição. Os policiais então resolveram ligar para o número de celular que havia acionado o guincho, para verificar se ele iria tocar. E qual não foi a surpresa? O aparelho que estava na posse de um dos abordados, tocou!
 
Enquanto os policiais rodoviários realizavam buscas no veículo e entrevista com os envolvidos, um dos abordados atacou um dos militares, entrando em luta corporal na tentativa de tomar a arma do policial militar que, para proteger sua integridade física, efetuou disparos de arma de fogo, cessando a agressão. O indivíduo foi atingido e, imediatamente, encaminhado ao hospital de Itapuã do Oeste, e em seguida, para o pronto-socorro João Paulo II, em Porto Velho.
 
As equipes se deslocaram até o município de Ariquemes para realizar a apresentação dos envolvidos, porém, a Polícia Civil não recebeu a ocorrência sob alegação de não ser competente para tal registro no município, sendo necessário encaminhar os indivíduos para a Central de Flagrantes, em Porto Velho. Para um dos conduzidos ainda havia um mandado de prisão em aberto.
 
O sexto envolvido na ação criminosa foi encontrado em uma residência, no município de Jaru, após uma denúncia. Militares do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), 8º BPM e um agente do Serviço de Investigação e Captura (Sevic) foram ao endereço e fizeram buscas. Foram localizados ferramentas e equipamentos como, máquina de policorte, marteletes, disco de cortes, cilindro de gás, varetas usadas em máquina de solda, a chave do veículo removido pelo guincho, e quatro munições calibre .38, uma delas deflagrada.
 
Questionado sobre os equipamentos e seu envolvimento na ação, o homem confessou que participou do furto, e que sua função seria vigiar a movimentação no lado de fora, e que os objetos em sua casa foram deixados pelos seus comparsas antes da fuga. Ele foi conduzido à Unisp do município.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS