BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SÉRIE D: Natalzinho diz que Vilhenense ainda não oficializou desistência do Brasileirão

De acordo com Natalzinho, o Vilhenense enviou uma consulta à FFER para saber se haveria ou não uma punição em caso de desistência da Série D

FUTEBOL DO NORTE

30 de Março de 2020 às 09:01

Foto: Divulgação

O vice-presidente da FFER (Federação de Futebol do Estado de Rondônia), José Natal Jacob, mais conhecido como Natalzinho, revelou ao Futebol do Norte que o Vilhenense ainda segue na disputa da Série D do Campeonato Brasileiro por ainda não ter protocolado oficialmente sua desistência da competição. A informação foi passada ao Futebol do Norte após o dirigente tomar conhecido da matéria veiculada no Futebol do Norte sobre a possível desistência do Leão do Cone Sul.

 

De acordo com Natalzinho, o Vilhenense enviou uma consulta à FFER para saber se haveria ou não uma punição em caso de desistência da Série D, porém tanto a entidade maior do futebol rondoniense quanto à CBF estão fechadas em virtude do avanço do novo Coronavírus (Covid-19). "O Vilhenense entrou em contato conosco enviando uma consulta, mas ainda não temos esta resposta ainda. Ainda vale o que está no Regulamento Específico da Competição da CBF para a Série D", pontuou Natalzinho.

 

O Artigo 34 do Regulamento Específico da Competição diz: "Um clube poderá desistir de disputar o CAMPEONATO, desde que o faça com uma antecedência mínima de 50 (cinquenta) dias para o início da competição (13/03/2020), explicando os motivos através de ofício dirigido à sua Federação". Já o Artigo 62 do Regulamento Específico da Competição diz: "Se uma equipe abandonar, for excluída ou eliminada pela Justiça Desportiva de uma competição ficará automaticamente suspensa durante 2 (dois) anos de qualquer outra competição coordenada pela CBF, em qualquer categoria ou divisão. Parágrafo único - Entende-se também como abandono a desistência da disputa de uma competição após a publicação definitiva da tabela e regulamento correspondente". Natalzinho revelou que os artigos ainda estão em vigor, porém podem ser revistos pela CBF em virtude da atual situação em que se passa o país. "Estamos enfrentando algo inédito no país que gerou inclusive a paralisação de todas as competições. A CBF ainda vai se pronunciar sobre o caso para que possamos passar a informação concreta para o nosso filiado", disse Natalzinho.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS