BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CAMPEONATO DE INVERNO 2020: Três equipes garantiram neste domingo vaga para as quartas de final do Torneio Aberto do Campeonato de Inverno

Shay Victorio, nova parceira do atleta do Atlético Goianiense, foi processada por estelionato em compras feitas na web e não entregues. Advogado fala em sentença 'desumana'

Lance

03 de Março de 2020 às 15:06

Foto: Divulgação

Nova namorada do goleiro Jean, do Atlético Goianiense, Shay Victorio foi sentenciada a 116 anos de prisão por estelionato, além de pagar uma multa. Segundo o "UOL", a influencer, que ainda poderá recorrer da decisão, cerca de 118 pessoas foram ouvidas pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) sobre acusações de mercadorias compradas em uma loja online que ela era sócia e que nunca foram entregues ao público.

 

Embora a condenação aponte 116 anos em regime fechado, a namorada do goleiro do Dragão ainda pode recorrer em liberdade. As investigações apontam que a empresa varejista online que Shayene Victorio era sócia, junto do ex-marido e o seu pai, foi acionada na Justiça por encomendas nunca entregues.

 

Agradeço a preocupação. Não estou presa e não vou ser presa, muito menos foragida cmo etsão espalhando. Se trata de um processo de um problema em que meu ex-marido teve e me prejudicou. Assim que nos separamos, ele se responsabilizou 100% - escreveu ela nas redes sociais, via Instagram.

 

O sigilo bancário da influenciadora foi quebrado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) para provar as acusações. Shay e o pai dela foram processados, segundo apurado pelo "UOL", por supostos crimes em Sorocaba (SP), entre 2013 e 2017.

 

- Importante acrescentar que restou comprovado que a ré Shayene tinha conhecimento das ilicitudes ocorridas na empresa de sua propriedade, pois, no e-mail trocado entre ela e o advogado Y., tal acusada demonstra claramente sua preocupação em relação ao fato de a empresa estar sem endereço físico, comprovando que tinha ciência acerca da ausência de estoque de mercadorias disponíveis para venda aos consumidores. Some-se a isto o fato de que a vítima X. afirmou que, após não receber a mercadoria adquirida por meio do site "Megazine.net", entrou em contato com a empresa, via telefone, oportunidade em que foi atendida por uma pessoa de nome Shayene, a qual que informou que o caminhão que o caminhão que estava efetuando a entrega dos bens havia tombado e danificado todos os produtos, razão pela qual necessitavam de um novo prazo de sessenta dias para realizar a entrega dos produtos, no entanto, nunca recebeu a mercadoria - apontou a juíza do caso.

 

Vale lembrar que a legislação brasileira não possibilita que determinações de prisão altas como neste caso sejam cumpridas. Uma pessoa pode ficar, no máximo, 30 anos presa por um crime no país.

 

- Se trata de uma empresa do ex companheiro de Shayene e que de maneira indireta lhe afetou. Foi um problema de administração das empresas e que após uma busca e apreensão questionável, fez com que a empresa não conseguisse fazer a entrega de produtos a alguns consumidores, falamos alguns, pois a empresa tinha mais de 10.000 vendas e entregas - explicou o advogado de Shay, que contestou:

 

- Shayene hoje está sendo alvo de difamação na internet, com pessoas criando páginas falsas para atacá-la, simplesmente com intuito de fofocas e maldades, o que a compeliu em uma ação indenizatória de conhecimento de Vossa Senhorias. Vamos recorrer da sentença que consideramos desumana.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS