BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

MENTIRAS: Laerte Gomes sofre ataques após reforma e endurece discurso contra “fake news”

Essas acusações começaram após o presidente do Poder Legislativo tomar a coragem de fazer uma ampla reforma administrativa reduzindo cargos comissionados e salários

ASSESSORIA ALE-RO

03 de Abril de 2020 às 21:52

Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Laerte Gomes, reagiu com indignação a postagens em redes sociais atacando sua honra ao espalhar “fake news” sobre supostas nomeações durante esse período de quarentena.

 

Essa onda de ataques começou após o dirigente do Poder Legislativo tomar a coragem de fazer uma ampla reforma administrativa reduzindo cargos comissionados e salários garantindo uma economia já no primeiro mês de R$ 1,5 milhão. Para o parlamentar, as críticas têm origem em pessoas atingidas pelo corte sistêmico na Casa de Leis.

 

Com o novo organograma da Assembleia Legislativa, todos os servidores da área administrativa foram exonerados. Havia 680 cargos comissionados e com a reforma executada pelo presidente Laerte Gomes esse número diminuiu para 345, que estão preenchidas desde a aprovação da reforma no início de março, como está no Portal Transparência.

 

Esses servidores estão trabalhando desde o primeiro dia de março e para dar cumprimento legal ao ato, os decretos de nomeação enquadrando esses trabalhadores no novo organograma da Casa está sendo publicado no Diário Oficial.

 

Portanto, não foram nomeações novas, mas tão somente a convalidação de ato legal feito em  março para manter em funcionamento a máquina administrativa. Os servidores de gabinetes são nomeados pelos deputados e o secretário-geral, Arildo Lopes, e os servidores do administrativo são nomeados pelo próprio secretário-geral, que é ordenador de despesa.

 

A gestão do presidente da Laerte Gomes foi responsável pela maior e mais profunda reforma administrativa já realizada na Assembleia Legislativa.

 

Os cortes e reduções, inclusive nas gratificações de assessoramento e direção, foram vetor da economia de R$ 50 milhões cujos valores em boa parte serão devolvidos ao Poder Executivo nesse momento de grande instabilidade econômica com a pandemia do novo coronavírus. Laerte lembra que no passado com esse mesmo orçamento não se economizava recurso algum, mas nem por isso os ex-gestores foram tão duramente criticados. “Esse é o preço que se paga para quem tenta fazer o que é correto”, pondera o parlamentar.

 

No entanto, Laerte garante que se manterá firme no propósito de manter a austeridade na Assembleia Legislativa e determinará aos seus advogados a propositura de ações jurídicas contra os propagadores de “fake news” e ataques sórdidos.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

Ministro da Educação anuncia, por meio de rede social, adiamento do prazo para se habilitar à prova. Pagamentos podem ser feitos até um dia depois da data final para garantir a participação. Até o meio-dia de ontem, mais de 5 milhões de pessoas tinham feito o cadastro

23 de Maio de 2020 às 10:36