BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DIREITOS DAS GESTANTES: Ada Dantas entrega leis na Maternidade Municipal Mãe Esperança

“Esta é a importância de legislar em favor do povo, fazer valer cada voto de confiança que nos foi dado, além de respeitar os direitos das gestantes", ressaltou Ada Dantas

assessoria

20 de Novembro de 2019 às 11:00

Preocupada com a saúde das gestantes e a vida de seus bebês, a vereadora Ada Dantas Boabaid (PMN) esteve, nesta terça-feira (19), na Maternidade Municipal Mãe Esperança, entregando cópias das leis de sua autoria que tratam sobre os direitos das grávidas. Na segunda-feira (18), a parlamentar havia realizado a entrega das leis para a diretora geral ajunta, Raquel Gil, do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro.

 

Ada Dantas explicou sobre a lei Nº 2.671 de 04 de novembro de 2019, de sua autoria, que dispõe sobre a implementação de medidas de informação e proteção à gestante e parturiente contra a violência obstétrica no Município de Porto Velho e também sobre a Lei Nº 2.683 de 04 de novembro de 2019 que dispõe sobre a garantia à gestante a optar a via de parto, vaginal ou cesariano, a partir da trigésima nona semana de gestação e o direito a analgesia quando na escolha pelo parto vaginal.

 

Graças a aprovação de duas leis de minha autoria, a vida de um bebê pôde ser salva na última segunda-feira (18), em Porto Velho. Pela manhã, recebi solicitação do esposo de uma gestante informando que a mulher estava com 40 semanas de gravidez, internada há 10 dias no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro. Após a nossa visita e cobranças, novos exames foram realizados e o parto do bebê foi feito com urgência. A criança estava sofrendo parada cardíacas por não haver mais líquido no útero da mãe. Felizmente ambos passam bem”, comentou Ada Dantas.

 

Esta é a importância de legislar em favor do povo, fazer valer cada voto de confiança que nos foi dado, além de respeitar os direitos das gestantes. Continuarei lutando para que cada vez mais os cidadãos tenham direitos garantidos e respeitados”, finalizou Ada Dantas.

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS