ELEIÇÕES 2012 - José Augusto fala à Maçonaria e garante piso salarial de 3 mil para professores

Candidato José Augusto (segurando a placa) com seu vice, Marco Antônio Faria (de barba à esquerda) depois da palestra na Glomaron

Da Redação

05 de Setembro de 2012 às 14:46

Foto: Divulgação

Os professores da rede municipal de ensino de Porto Velho vão passar a ter um salário inicial na faixa de 3.000 a 3.500 reais mensais, caso o médico José Augusto, candidato a prefeito da capital pelo PMDB, venha a ser eleito. Quem assegura esse salto quantitativo na remuneração dos professores é o próprio candidato, durante exposições que fez nesta terça-feira, dia 04, aos maçons da Grande Loja Maçônica do Estado de Rondônia, na abertura da Semana de Cidadania e Política que vai até o próximo dia 18 e tem confirmação da presença de todos os nove candidatos.
De acordo com o cronograma estabelecido pela Comissão de Política e Cidadania, nesta quarta-feira, dia 05-09, quem vai falar aos maçons será a candidata do PSDB, Mariana Carvalho.
O médico José Augusto, que tem como candidato a vice o magistrado aposentado e empresário do ramo educacional Marco Antônio de Faria está em Porto Velho desde a década de 70 e colocou os setores de educação e saúde como prioridade absoluta em caso de vir a ser eleito prefeito de Porto Velho. José Augusto disse que para conseguir os recursos para bancar um salário digno aos professores, basta trabalhar pelo aumento da arrecadação e ampliar o limite dos investimentos obrigatório na educação para além do teto constitucional de 25 por cento. Paralelo à melhoria salarial e melhor qualificação dos professores, o candidato assegurou que vai melhorar a estrutura física das escolas, incentivar a participação dos pais com o programa escola aberta à comunidade nos finais de semana.
Esse salto na qualidade da educação que se oferece às crianças de Porto Velho, segundo José Augusto, é a única forma de evitar que a juventude se torne analfabeta conjuntural, porque com o nível de ensino atual as crianças estão chegando ao fim do ensino fundamental, que corresponde à oitava série ou nono ano, como se diz agora, se saber ler direito ou quando conseguem ler não conseguem interpretar o que leram.
Sobre o setor de saúde, o médico José Augusto disse que, há 25 anos, sugeriu ao então governador Jerônimo Santana a construção de um hospital e pronto socorro municipal em Porto Velho. “Não há porque a prefeitura temer a manutenção de um pronto socorro municipal, até porque, com o sistema de Autorização de Internação Hospitalar (AIH) dá pra buscar recursos do Governo Federal pelo sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou.
O candidato do PMDB abordou ainda temas como saneamento básico, ensino profissionalizante, transporte coletivo, coleta de lixo e pós-usinas, acrescentando que há no seu plano de trabalho a implantação de agroindústrias e a implementação de atividades turísticas como forma de expandir a economia e gerar emprego e renda.
Depois de quase uma hora de exposição, José Augusto respondeu a mais de 20 perguntas dos maçons, aprofundando temas já expostos e abordando assuntos que não havia sido citado pelo candidato.

Antes de encerrar a primeira sessão da Semana de Política e Cidadania da Glomaron, o grão-mestre Juscelino Moraes do Amaral, que comandou os trabalhos, secundado pelo delegado do grão-mestrado para Porto Velho, Candeias e Itapuã, Mário Leme, e pelo presidente da Comissão de Cidadania e Política da Grande Loja, Cláudio Luiz Santini, agradeceu ao candidato pela disposição de falar à Maçonaria e entregou-lhe uma placa, cuja mensagem encerra-se com a seguinte frase: ”nosso desejo é o de que o futuro prefeito de Porto Velho atente para o compromisso firmado com a sociedade e que as palavras frutifiquem ações e resultados, para que todos possamos, em breve, comemorar o dever cumprido”. 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS