BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CAEDES: Operação da polícia prende advogado e membros de facção que mataram barbeiro

O barbeiro foi morto no dia 02 de janeiro deste ano em seu estabelecimento comercial localizado na Avenida Tancredo Neves, bairro Caladinho, na zona Sul da cidade

Rondoniaovivo

04 de Fevereiro de 2020 às 09:13

 

Uma mega operação denominada Caedes realizada pela Polícia Civil, através da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) sob o comando da delegada Leisaloma Carvalho Resem culminou com um advogado e cinco membros da facção criminosa PCP (Primeiro Comando do Panda) presos na manhã desta terça-feira (04) na zona Sul de Porto Velho (RO).

 

VEJA MAIS

 

 

 

 

Os integrantes da facção criminosa são suspeitos de envolvimento na morte do barbeiro Lucas dos Santos Veiga, 20, e de outros homicídios ocorridos na capital, que a polícia segue investigando.

 

Advogado preso na operação | Foto: Richard Nunes/Rondoniaovivo

 

O barbeiro foi morto no dia 02 de janeiro deste ano em seu estabelecimento comercial localizado na Avenida Tancredo Neves, bairro Caladinho, na zona Sul da cidade.

 

Cinco mandados de prisão foram cumpridos nesta terça, sendo que dois dos alvos já se encontravam presos por outros crimes. Também foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, ocasião em que o advogado foi preso com quase quatro quilos de maconha em sua casa, também na zona Sul. A droga estava enterrada. Segundo as investigações, o advogado era contratado para defender os membros da facção criminosa PCP.

 

Um dos presos hoje, Arlon F. F., estava foragido da Colônia Penal e recentemente apareceu armado em um vídeo com um grupo de comparsas prometendo cometer ataques a tiros a membros do Comando Vermelho.

 

Os investigadores da Homicídios descobriram que as motivação para a morte do barbeiro Lucas teria ocorrido após ele postar uma foto nas redes sociais com uma adolescente que era namorada de um dos membros do PCP. O acusado se encontra preso e ordenou a morte de Lucas, alegando que ele era membros do Comando Vermelho, o que não ficou comprovado pela polícia durante as investigações.

 

O bando é suspeito ainda de uma onda de homicídios e tentativa de assassinatos na capital. Os crimes seguem sendo investigados pela Polícia Civil. Durante a ação da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (04) foram apreendidos um revólver calibre 38, um pistola de pressão adaptada para calibre 22 e uma motocicleta roubada, além da droga que estava escondida na casa do advogado.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS