BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Amazonas - Professor de balé clássico é encontrado morto dentro de casa em Manaus

Amazonas - Professor de balé clássico é encontrado morto dentro de casa em Manaus

Da Redação

29 de Novembro de 2007 às 08:07

Foto: Divulgação

MANAUS - O professor de balé clássico José Olímpio Farias Paiva, 43 anos, foi encontrado morto ontem, por volta de 8h30, no quarto dele, na rua Carauari, bairro Redenção, na zona Centro-Oeste de Manaus. Ele trabalhava há seis anos na Estúdio de dança Arnaldo Peduto, no bairro Parque Dez, zona Centro-Sul, e tinha 150 alunos, a maioria crianças e adolescentes. *O corpo dele foi encontrado pelo dono do imóvel, Carlos Ribeiro, 61, que foi alertado pelos vizinhos sobre o mau cheiro vindo da casa de dois cômodos. Segundo os peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, o corpo estava no local há mais de 36 horas, em avançado estado de decomposição. *O professor de dança estava caído no chão, ao lado da cama, com as mãos amarradas para trás e com o lençol enrolado no pescoço. O laudo de necropsia, do Instituto Médico Legal (IML), atestou a causa morte como asfixia, e não havia perfurações no corpo. *Segundo o delegado Josué Rocha, da Delegacia Especializada em Homicídios e Seqüestros (DEHS), familiares perceberam que vários objetos de valor foram roubados da casa, como aparelhos de TV e DVD, e a pochete, que tinha dinheiro e documentos pessoais. *Latrocínio *Devido aos indícios de roubo seguido de morte (latrocínio), o assassinato do professor de dança vai ser investigado pela Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (DERF). “Fizemos um trabalho preliminar de investigação, levantamos nomes das pessoas que tiveram contato com o professor nas últimas horas e vamos relacioná-las na lista de suspeitos. Não podemos, ainda, apontar o assassino”, disse. *O irmão mais velho de José Olímpio, Manoel do Socorro Paiva, 45 anos, disse que o irmão foi visto pela última vez no sábado, por volta de 9h, numa feira do bairro Redenção, acompanhado de um homem desconhecido. “Foi a última vez que o vimos. Eu conversei com ele no dia anterior, convidando para almoçar na minha casa, mas não foi. A vida social dele era ativa”, afirmou. *Segundo Manoel, José Olímpio tinha relações íntimas com vários homens e foi alertado sobre o risco de ter relações com pessoas desconhecidas e morar sozinho. “Sabíamos pouca coisa sobre a vida do meu irmão. Depois que deixou a casa da nossa mãe, ele se afastou da família”, afirmou. *José Olímpio ganhou prêmios pelo País. No início do mês, os alunos dele ganharam o prêmio de revelação no Festival Universitário de Dança do Amazonas (Feudam).
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS