MÉDICOS: Cremero debate com Sesdec a situação de plantonista em Guajará

Muitos são obrigados a realizarem exames de corpo de delito e perícia, o que vai contra o código de Ética Médica

MÉDICOS: Cremero debate com Sesdec a situação de plantonista em Guajará

Foto: Divulgação

O presidente do Cremero, Robinson Machado, se reuniu na última segunda-feira (10), com o secretário de Segurança Pública, coronel José Hélio Pachá, para tratar sobre a situação de médicos plantonistas do Hospital Regional de Guajará-Mirim que são obrigados a realizarem exame de corpo de delito e perícia. O encontro aconteceu na Sesdec, no Palácio Rio Madeira, sede do Governo de Rondônia
 
Doutor Robinson explicou que a ausência de legistas na localidade gera um desconforto para os profissionais, que são obrigados pelas autoridades policias do município a realização de corpo de delito, mesmo sabendo da existência de perito médico na cidade vizinha de Nova Mamoré. 
 
Segundo Robinson, nesse caso, tal situação fere o artigo 93 do Código de Ética Médica, o qual veda o médico de ser perito ou auditor do seu próprio paciente. 
 
Outro fato agravante, destacado pelo presidente do Cremero, é que os que não concordam em realizar os procedimentos são convocados a prestar esclarecimentos na delegacia.  
 
“É grave impor aos médicos do Pronto Atendimento de Guajará-Mirim a obrigatoriedade de ser perito mesmo contra vontade do profissional. Perícia é algo que requer formação técnica. Estamos aqui para evitar um mal maior por conta dessa situação”, disse o presidente 
 
De acordo com doutor Robinson, Guajará-Mirim é um município que não atrai muitos médicos. Ele disse entender as dificuldades e lembra a falta de estrutura.  
 
Diga-se de passagem, que no Hospital Regional de Guajará-Mirim existe apenas um plantonista por dia e este é responsável por duas alas: Covid e não Covid”, completou.
 
Após ouvir a demanda, o secretário Pachá informou que nesse primeiro momento vai buscar resolver a situação e que uma solução definitiva é a realização do concurso pública da Polícia Civil.
 
“Estamos sensíveis ao problema. Temos uma luz no fim do túnel que é o concurso. O edital já está pronto. São 20 vagas para legistas, com a expectativa desse número aumentar”.
 
Após a reunião, o presidente Robinson Machado protocolou um ofício que será encaminhado a direção da Polícia Civil para que providências sejam tomadas. 
 
No ofício, o presidente do Cremero solicitou que o encaminhamento das perícias seja feito ao perito do Estado que se encontra no município vizinho, Nova Mamoré, até a nomeação de um perito para Guajará-Mirim. Pediu ainda que os delegados não obriguem mais os médicos plantonistas do Hospital Regional a realizarem as perícias.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS