ESPAÇO ABERTO: Juíza determina fechamento de agência do Bradesco na capital após denúncia

Confira a coluna de Cícero Moura

ESPAÇO ABERTO: Juíza determina fechamento de agência do Bradesco na capital após denúncia

Foto: Divulgação

DECISÃO
 
A juíza Cândida Maria Ferreira Xavier, titular da 6ª Vara do Trabalho de Porto Velho (TRT 14), determinou, na tarde de ontem, que o Bradesco promova a suspensão imediata das atividades na Agência 7167 (Urbana) do Banco Bradesco, localizada ao lado do terminal rodoviário da capital.
 
CONSERTO
 
A decisão vale até a normalização do funcionamento de seu sistema de climatização, e que seus funcionários sejam realocados em outras agências do banco, ou designados para trabalhar em regime de home office, até a regularização do ambiente de trabalho.
 
PENALIDADE
 
O Bradesco deverá cumprir as medidas no prazo de 24 horas, sob pena de multa diária no valor de R$ 30 mil reais em caso de descumprimento. Caso o banco desobedeça e permita a agência funcionando nos próximos cinco dias, estará cometendo crime de desobediência à ordem judicial, e a multa passará a valores bem superiores até o efetivo cumprimento da ordem.
 
RONDONIAOVIVO
 
Na decisão, a juíza Cândida Xavier divulgou link da coluna Espaço Aberto de ontem, onde foram destacados o problema antigo das centrais de ar da agência do
Bradesco e a possibilidade de disseminação do coronavírus no ambiente com o uso dos climatizadores de ar improvisados no local.
 
FOI ATRÁS
 
O prefeito Hildon Chaves esteve em Brasília, ontem, junto com outros representantes de municípios, na FNP - Frente Nacional de Prefeitos -, tentando viabilizar
a compra da vacina contra a Covid-19.
 
ACORDO
 
Hildon Chaves assinou um protocolo de intenções para aderir ao consórcio público que será instituído pela FNP para a aquisição de vacinas. Segundo ele, a
iniciativa leva em conta os atrasos no cronograma nacional de vacinação.
 
CUSTO 
 
Deverão ser investidos cerca de R$ 10 milhões, recursos oriundos da União e contrapartida da Prefeitura de Porto Velho. Apesar dessa mobilização, Hildon enfatiza que o caminho até a compra das vacinas está só no início.
 
LENTIDÃO
 
O prefeito diz que há uma demanda mundial por insumos e vacinas, o que torna a situação muito complexa. De acordo com Chaves, o quadro é agravado pelo fato do calendário nacional de vacinação estar atrasado.
 
SEM PROMESSA
 
Hildon Chaves deixa claro que ainda não é possível garantir detalhes como a data em que será feita a aquisição da vacina. No entanto, o prefeito já quer estar na fila aguardando a liberação de venda.
 
ANO PASSADO
 
Em dezembro de 2020, o prefeito esteve no Butantan, em São Paulo, e firmou compromisso de compra da vacina, já que o governo federal tinha sinalizado que não compraria vacina do instituto. 
 
REALIDADE
 
Quando o número de vítimas dessa doença maldita fugiu ao controle, o Governo Federal mudou a postura e passou a fazer a compra de vacinas em caráter de exclusividade. Com isso, as negociações iniciadas pela Prefeitura de Porto Velho foram prejudicadas.
 
QUASE UM LOCKDOWN
 
O governador Marcos Rocha (SEM PARTIDO) abriu mão da cartilha bolsonariana e afirmou durante entrevista à imprensa local que irá aumentar as restrições do funcionamento do comércio em decorrência do avanço da COVID-19 no Estado.
 
NOVOS HORÁRIOS
 
De acordo com Rocha, a partir desse sábado (6) o comércio ficará o final de semana todo fechado, sendo exceções às farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina, indústrias e supermercados. 
 
ESCOLAS FECHADAS
 
A abertura gradativa das aulas presenciais também irá regredir, ou seja, aula apenas on-line para a rede pública e privada. Para Rocha, essa parada não é lockdown e conta com o apoio da própria classe empresarial. 
 
OBEDIÊNCIA
 
Marcos Rocha reluta no termo inglês sobre confinamento porque sabe que um mínimo comentário afirmando isso, chegaria ao conhecimento do “ Mito” e estragaria a “velha amizade” entre ambos.
 
PARADO
 
O curioso é que na entrevista Marcos Rocha afirma: “Final de semana a gente vai ter que parar tudo, a partir do final de semana será fechamento total. Começa na sexta à noite e vai até a segunda”, disse o governador. 
 
E CONTINUA...
 
O Estado terá toque recolher entre as 21h e 05h durante a semana, nos sábados o comércio funcionará das 05 às 12h e permanecerá fechado até a segunda-feira. Igrejas apenas poderão abrir para atender os fiéis de forma isolada, sem a realização de cultos ou missas. 
 
PUNIÇÃO
 
Dessa vez a fiscalização será mais incisiva, a Polícia Militar está autorizada a agir para dispersar aglomerações, até mesmo em bares e restaurantes. A multa para quem for pego descumprindo as medidas será de R$ 180. 
 
ENTREGAS
 
Os serviços em delivery serão até as 22h, porém essa medida ainda sendo analisada. O novo decreto deve ser assinado e publicado pelo Governador ainda essa semana. 
 
IRREGULARIDADE
 
O Conselheiro-Substituto Omar Pires Dias, do Tribunal de Contas do Estado, determinou que o Governo de Rondônia suspenda imediatamente contrato de prestação de serviço assinado com a empresa Impacto RH - Gestão Administrativa & Treinamentos Ltda.
 
SUDESTE
 
A Impacto RH é do estado do Espírito Santo e foi contratada sem licitação para prestar serviço no valor de 999 mil reais por um ano. A empresa seria especializada na implantação, gerenciamento, treinamento, assessoria e acompanhamento do Programa Estadual de Microcrédito Produtivo e Orientado (PROAMPE/RO) nas unidades municipais, para prestação de serviços de monitoramento, formação e capacitação continuada dos agentes de crédito.
 
NEGOCIAÇÃO
 
Segundo o Conselheiro, a  Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura – SEDI fez a contração alegando inexigibilidade, dispensa de licitação. A medida é permitida em algumas situações, o que não seria o caso no contrato em questão, afirma Omar Dias.
 
ARGUMENTO
 
De acordo com o Conselheiro, a empresa foi contratada com a justificativa de ter notória especialização. O curioso é que a Impacto RH foi criada em 2015.
 
IMPOSSIBILIDADE
 
Segundo Omar, por melhores que sejam os profissionais envolvidos na prestação dos serviços, é difícil crer que, em menos de cinco anos de funcionamento, a pessoa jurídica já possua notória especialização em um serviço de tamanha relevância.
 
OURTOS PROFISSIONAIS
 
Na determinação, o Conselheiro também aponta que não há nada que confirme a ausência de disponibilidade de outros profissionais capacitados para prestarem o mesmo serviço. Diante disso, a preferência de exclusividade para a Impacto RH seria supostamente arbitrária e injustificada.
 
GOVERNADOR
 
O Conselheiro Omar Dias também argumenta que o governador Marcos Rocha afrontou a hierarquia das normas do Direito Brasileiro ao contrariar uma lei estadual vigente ( Lei 1.040 de 23/01/2002 ) ao criar o PROAMPE/RO (Programa de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores de Pequenos Negócios do Estado de Rondônia).
 
OUTRO LADO
 
O Governo de Rondônia não respondeu as mensagens da coluna até o fechamento desta edição.
 
OUTRO LADO 2
 
A coluna não conseguiu contato com nenhum representante da empresa Impacto RH.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS