BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

MAIS BARATO: Jaru economiza R$ 10 mil na coleta de lixo com a contratação da empresa RLP

Após licitação pública para a coleta de lixo urbano, Jaru promove economia aos cofres municipais e garante eficiência da execução dos serviços

ASSESSORIA

11 de Janeiro de 2021 às 11:23

Foto: Divulgação

Processo de licitação para a coleta de lixo urbano em Jaru promove economia aos cofres municipais e garante eficiência da execução dos serviços
A produção de notícia, não para de prejudicar as pessoas pelo mundo afora. E, desta vez, em Rondônia, a informação fabricada para tentar enganar poderia parar na lata do lixo. 
 
Aliás, por coincidência, a desinformação fala exatamente sobre os serviços ligados ao lixo urbano no Estado, especificamente na cidade de Jaru, na região central, distante 293km da capital Porto Velho.
 
O pior é que a ‘matéria’ divulgada por meio de assessoria em sites rondonienses mexe não somente com a garantia da qualidade de vida dos moradores, mas com o dinheiro dos impostos pagos pelos próprios cidadãos de Jaru, que tem população estimada em 51.620 pessoas (IBGE/2020).
 
No texto, a assessoria acusa favorecimento da Prefeitura de Jaru em benefício da empresa para a realização da coleta de lixo na cidade. Mas, esquece de mencionar que o novo processo de escolha da prestação dos serviços obedeceu à Licitação Pública, em Pregão Eletrônico, junto ao Compras Net do Governo Federal (governodigital.net).
 
Nota-se que esse processo de decisão tem sido bastante utilizado pelas gestões públicas no Brasil, afastando possíveis inseguranças no cumprimento de contratos, por exemplo – como já aconteceu em Rondônia na questão da coleta do lixo urbano, além de garantir menor preço de execução dos serviços.
E, naturalmente, foi isso o que aconteceu: conforme edital de Pregão Eletrônico (195/PMJ/2020), empresas que trabalham com a coleta de lixo participaram do processo, entre elas a RPL - Rondônia Limpeza Pública e Privada e a Amazon Fort Soluções Ambientais.
 
O pregão eletrônico foi realizado em sessão pública, via internet, sob condições de total segurança, incluindo os recursos da criptografia e autenticação em todas as suas fases.
 
O resultado promoveu a economia de dinheiro público para os cofres da Prefeitura de Jaru e celebrou a qualificação dos serviços da empresa vencedora, que foi a RLP.
 
No item Preço, o pregão qualificou a proposta mais vantajosa, em conformidade com as leis federais 10.520/2002, 8.666/1993. Neste caso, a RLP apresentou o valor de R$ 290,66 por tonelada de lixo urbano coletado, abaixo 20% do valor estimado pela Prefeitura de Jaru, em edital com seu Demonstrativo de Preços para a contratação da empresa, com R$ 395,00 por tonelada.
 
Enquanto, isso a empresa segunda colocada no pregão, a Amazon Fort (que já prestava os serviços de coleta do lixo urbano para a Prefeitura de Jaru), apresentou o valor de R$ R$ 290,92 por tonelada, sendo R$ 0,26 (26 centavos) por tonelada mais caro para os cofres públicos.
 
Ou seja, a escolha foi natural, por ser legal e obedecer a todas as regras e critérios do processo licitatório público. 
 
ECONOMIA E QUALIFICAÇÃO
 
Podemos dizer que a Prefeitura de Jaru vai fazer uma economia de cerca de R$ 10 mil em contrato pagando pela prestação do serviço, conforme as diferenças de valores apresentadas entre a RLP e a Amazon Fort na licitação.
 
A qualificação da RLP também foi item de fundamental decisão no processo de licitação, já que a empresa vai disponibilizar 4 caminhões coletores (3 efetivos e 1 reserva) e aproximadamente 30 trabalhadores para atender a cidade de Jaru – quase o dobro do efetivo da empresa segunda colocada no certame.
 
Com atuação nos municípios de Vilhena, Cacoal, Ji-Paraná e Rolim de Moura, a RLP tem recebido o reconhecimento dos gestores públicos por sua capacidade técnica e agilidade nos serviços, o que produz um alto índice de satisfação junto às comunidades.
 
A lição que fica é que é preciso investir sempre na transparência dos processos e decisões para que nenhuma notícias possa tentar ludibriar a verdade que, neste caso da coleta de lixo urbano em Jaru, é instrumento das políticas públicas, da preservação ambiental e da melhoria da qualidade de vida da população.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS