BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PORTO VELHO: Jornalista lança pré-candidatura a vereadora e destaca projeto coletivo

"Nunca tive desejo pessoal de meter a cara na disputa por um mandato e a decisão é por estímulo de pessoas de muita bondade e caráter”

ASSESSORIA

21 de Agosto de 2020 às 08:20

Atualizada em : 21 de Agosto de 2020 às 08:21

Foto: Divulgação

 

Em ‘live’ com apoiadores a blogueira Luciana Oliveira lançou seu nome como pré-candidata a vereadora em Porto Velho pelo Partido dos Trabalhadores.

 

“Não poderia anunciar essa decisão sem demonstrar que se trata de um projeto coletivo. Nunca tive desejo pessoal de meter a cara na disputa por um mandato e a decisão é por estímulo de pessoas de muita bondade e caráter”, disse Luciana.

 
Com o blog que leva seu nome, Luciana se dedica ao jornalismo independente e progressista que dá voz aos que mais precisam de socorro ou espaço para denúncias.
 
Ela também colabora com vários veículos de comunicação da imprensa e coloca as notícias de Rondônia em destaque nacional.
 
“Sou militante. O Partido dos Trabalhadores é onde sei que vou praticar o que há de melhor na política, o diálogo e luta pelo fortalecimento da democracia e justiça social”, disse.
 
O meio ambiente e a cultura ganham destaque no seu ativismo, mas a jornalista esteve sempre presente em lutas pelos direitos dos trabalhadores, das mulheres, das crianças e adolescentes, educação, saúde e por inclusão social.
 
No lançamento esteve presente o pré-candidato do partido a prefeito da capital, Ramon Cujui.
 
“Todas as mulheres do PT são imprescindíveis à luta social e política e Luciana é uma delas. É uma guerreira. A gente se encontrou em todas as manifestações dos últimos dez anos”, disse Ramon.
 
Em pré-campanha destaca que o amor à cidade e às pessoas  é que vai qualificar a representação na Câmara de Vereadores.
 
“Para cuidar tem que amar. Espere de mim amor, coragem e iniciativas que façam bem a todos e todas. Não espere de mim covardia para fiscalizar e propor. Não espere de mim silêncio e cabresto em troca de nada, porque o mandato pertence ao povo e é o povo quem vai orientar meus passos”, pontuou a jornalista.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS