MEIO AMBIENTE : Atitude consciente qualifica a coleta de lixo nas cidades em Rondônia

Participação da população no preparo correto dos recipientes que acondicionam o lixo doméstico pode garantir uma coleta mais eficiente

MEIO AMBIENTE : Atitude consciente qualifica a coleta de lixo nas cidades em Rondônia

Foto: Divulgação

O sucesso da coleta do lixo doméstico nas cidades começa dentro de casa, é sempre bom reforçar que as atitudes de cada um, podem contribuir com uma coleta eficiente. 
 
É importante que o acondicionamento do lixo doméstico nas lixeiras seja de forma apropriada, evitando o descarte de restos de alimentos com materiais recicláveis como o vidro, plásticos ou latinhas de alumínio.
 
Logo, podemos dizer que cada um fazendo a sua parte pode ajudar a melhorar os serviços de coleta de lixo urbano.
 
Em Rondônia, a empresa RLP – Rondônia Limpeza Pública e Privada projeta o Estado para se transformar num exemplo positivo na coleta qualificada e participativa do lixo urbano. Para isso, a RLP conta com o trabalho especializado de 108 garis e 37 motoristas, auxiliados por 23 caminhões coletores.
 
O atendimento já chega a quatro cidades rondonienses, Vilhena, Cacoal, Rolim de Moura e Ji-Paraná, com a coleta de cerca de 230 toneladas de lixo, por dia.
 
Nestes municípios, a RLP tem o apoio de uma população total estimada em 370 mil (IBGE/2020), num papel decisivo na efetivação de uma coleta de qualidade.
 
A empresa reforça que antes de descartar o lixo, remova o excesso de água e de outros líquidos; embrulhe os cacos de vidros, lâmpadas quebradas ou objetos pontiagudos em folhas de jornais, antes de descartá-los; e Aproveite bem o saco de lixo, mas não o encha até a boca, deixe um espaço para que ele possa ser amarrado com firmeza.
 
Fazendo assim, cada morador contribui para abrandar os riscos que o lixo pode representar para o meio ambiente e a saúde, com destaque para os próprios coletores. A redução do excesso de água, por exemplo, diminui a quantidade de produção do chorume infectante (líquido da decomposição do lixo orgânico) e os cuidados com os recipientes em vidro evitam acidentes com os trabalhadores.
 
Feito isso, é mais do que ‘um caminho andado’ para fazer da coleta de lixo urbano uma ‘ferramenta’ para o bem-estar na cidade.
 
Outras recomendações são cruciais, como: Deixar o saco de lixo na calçada duas horas antes da passagem do caminhão coletor - se o caminhão passa à noite, o saco pode ser deixado na calçada a partir das 18h, sempre fora do alcance de animais. 
 
É preciso se atentar também que o saco plástico de lixo colocado sobre portões, muretas ou na rua dificulta a coleta e, frequentemente, arrebenta o recipiente, o que causa sujeira, mau cheiro e atrai insetos e roedores – que são transmissores de doenças.
 
Se a população faz a sua parte, a RLP sabe da sua condição em incentivar a coleta de qualidade. Tanto é que a empresa mantém uma logística que cumpre fielmente escalas e horários, o que facilita a vida de todos.
 
O bom dessa história de exemplos e aprendizagens é que tem sempre um cidadão disposto a inovar e criar ambientes para soluções que podem melhorar o dia a dia urbano.
 
Porque numa cidade mais limpa, tem gente feliz.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS