BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

200 VÍTIMAS: Polícia prende falso promotor dando golpes dentro de prédios do Judiciário

O homem já tem diversos antecedentes criminais. Ao menos, 200 pessoas foram vítimas do estelionatário nos últimos quatro meses

ESTADO DE MINAS

17 de Dezembro de 2019 às 17:44

Foto: Divulgação

Conseguir ou facilitar aposentadorias em troca de auxílio para custear os processos. Essas eram as promessas feitas por Eliverdson de Paula Lucas Silva, 50 anos, para atrair vítimas de estelionato. O homem, segundo investigações da Polícia Civil, se passava por promotor do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Ele foi preso em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A suspeita é que ele tenha praticado o golpe contra, ao menos, 200 pessoas.
 

O investigado já é conhecido da polícia, com uma longa ficha criminal. Segundo as investigações, ele passava por promotor dava falsa promessa às vítimas de conseguir e ou facilitar aposentadorias em troca de auxílio pecuniário para as “custas do processo”.



Para dar mais credibilidade ao golpe, ele atraía as pessoas a prédios do Poder Judiciário, Fóruns e Tribunal de Justiça. Nos imóveis, simulava audiências e despachos. De acordo com as investigações, o homem falsificava carimbos e assinaturas de advogados para forjar “procurações” e ter acesso a processos judiciais em curso.

 

Extensa ficha criminal


O falso promotor já é conhecido no meio policial. Ele já tem uma longa ficha criminal. O golpe era praticado por ele desde 2007, segundo as investigações. Por meio das redes sociais, utilizava perfil falso com diversas fotos do Ministério Público e da Polícia Civil. “Ao conversar com as pessoas, ele alegava ser a 'instituição policial responsável por sua proteção', informou o MPMG.



A prisão de Eliverson aconteceu na última sexta-feira. Na casa dele, foram apreendidos documentos falsificados, carimbos de advogados e médicos, receitas médicas, carteiras de trabalho, carteiras com brasões utilizadas para aplicar golpe e certa quantia em dinheiro. O homem está preso preventivamente no  presídio Professor Jason Albergaria, em São Joaquim de Bicas, na Grande BH.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS