BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SEM SAÚDE: Desmaios e mais de oito horas de espera na UPA SUL da capital

Desmaios, crianças e idosos com fortes dores foram registrados e mesmo assim a estrutura disponibilizada, de responsabilidade da prefeitura de Porto Velho, não foi capaz de atender a demanda

DA REDAÇÃO - João Paulo Prudêncio

22 de Janeiro de 2020 às 10:28

Foto: Divulgação

A noite desta última terça-feira (21) foi de sofrimento para quem procurou a Unidade de Pronto Atendimento – UPA, localizada na zona Sul de Porto Velho.

 

Desmaios, crianças e idosos com fortes dores foram registrados e mesmo assim a estrutura disponibilizada, de responsabilidade da prefeitura de Porto Velho, não foi capaz de atender a demanda.

 

O repórter William Ferreira “Homem do Tempo” foi até o local para conversar com a comunidade que se mostrou revolta com a situação e cobrou do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB) que uma atitude seja tomada para resolver a situação.

 

Só apenas com a chegada de uma guarnição da Polícia Militar que a diretora da UPA Sul informou que não haveria atendimento para os pacientes classificados como ficha verde. Muitas dessas pessoas alegaram que ficaram aguardando mais de sete horas para serem recebidas pelo médico e mesmo assim foram mandadas para casa.

 

A falta de médicos e outros profissionais da saúde nos postos e policlínicas de Porto Velho é um grave problema que se estende desde o final de 2019 e leva a condições desumanas e precariedade na qualidade de vida dos moradores da cidade.

 

O prefeito Hildon Chaves anunciou recentemente que irá promover contratações de médicos por plantão, além de abrir concurso público, porém, infelizmente até o momento nenhuma dessas medidas chegou efetivamente à sociedade portovelhense, que segue sofrendo.

 

Confira vídeo:

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS