BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DESUMANO: Cidadãos são dispensados sem atendimento médico na UPA da zona Leste

Sem médicos para atender os pacientes considerados “ficha verde”, um servidor teve de informar a todos que os atendimentos não iriam acontecer

DA REDAÇÃO - João Paulo Prudêncio

15 de Janeiro de 2020 às 10:54

Foto: Divulgação

Durante a noite desta última terça-feira (14) dezenas de cidadãos, entre crianças e idosos, foram obrigados a retornarem para casa sem conseguir o devido atendimento médico após horas de espera na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, localizada na zona Leste de Porto Velho.

 

Sem médicos para atender os pacientes considerados “ficha verde”, um servidor teve de informar a todos que os atendimentos não iriam acontecer para eles, somente casos de urgência.

 

Veja mais: 

 

CAOS NA SAÚDE: “Isso é um absurdo e acabará no meu governo”, disse Hildon Chaves em 2016

 

A indignação de quem estava no local foi inevitável, muitas dessas pessoas estavam com dores agudas ou alguma espécie de mal estar e mesmo assim não conseguiram encontrar qualquer médico disponibilizado pela prefeitura de Porto Velho.

 

 

Foi dada como recomendação a quem estava na UPA Leste e não conseguiu atendimento, que buscasse a Unidade de Pronto Atendimento da zona Sul, também de competência da prefeitura de Porto Velho, mas, relatos repassados à reportagem por um cidadão que estava no local, dão conta que a condição por lá não era muito diferente.

 

“A UPA da zona Sul está um caos, aqui no cronograma deles está constando três médicos, estou desde as 18h20 esperando atendimento e estão atendendo somente amarelos, estão negando atendimento ao público”, afirmou o cidadão que estava aguardando atendimento na UPA Sul.

 

Ou seja, o cidadão vem sendo jogado de um lado para o outro e nada se resolve.

 

Em entrevista recente à uma emissora de televisão local, o prefeito Hildon Chaves afirmou que o problema está sendo resolvido com a contratação emergencial e abertura de concurso, além da contratação de médicos por escala.  

 

Confira vídeo:

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS