BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

PC indicia seis pessoas por suposto desvio de combustível da Prefeitura

São suspeitos um servidor concursado, três portariados, um apenado e uma sexta pessoa que teria comprado o combustível

Da Redação

28 de Novembro de 2017 às 11:50

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, através da Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) na Estância Turística de Ouro Preto do Oeste, indiciou seis pessoas por suspeita de desvio de combustível da Prefeitura Municipal.

O delegado responsável pelo inquérito, Niki Alves Locatelli, optou por não relevar os nomes dos envolvidos, citando apenas que se trata de um servidor público concursado, três portariados, um apenado que prestava serviço na garagem e uma sexta pessoa, que é suspeita de ter comprado o combustível.

Segundo Niki, as investigações iniciaram-se após o Ministério Público ter remetido cópias de uma denúncia anônima relatando provável crime de peculato, em que servidores públicos estariam desviando, para venda, combustível da Prefeitura de Ouro Preto do Oeste.

O inquérito foi instaurado no dia 04 de outubro e concluindo em 20 de novembro. Nesse período foram ouvidas 14 pessoas, cumpridos três mandados de busca e apreensão, incluindo a localização e apreensão de combustível em uma chácara próximo ao bairro Aeroporto II, que, supostamente, foi desviado.

Segundo o delegado, pediu pelo imediato afastamento dos servidores e que o inquérito seguirá para o Ministério Público, onde poderá ou não oferecer a denúncia junto ao Poder Judiciário. Nike fez questão de frisar que os suspeitos terão amplo direito à defesa.

Paralelo a esse inquérito, a Prefeitura Municipal instaurou uma sindicância para apurar o suposto envolvimento dos servidores no crime de peculato. O presidente da Comissão de Sindicância, Osvaldo Orellana, informou que em até 20 dias serão concluídos os trabalhos. E explicou que dois servidores portariados já foram exonerados e o apenado que prestava serviço na garagem foi dispensado, assim que surgiu a denúncia.

O crime

O combustível era colocado em galões para serem destinados à zona rural onde deveriam ser utilizados em maquinas pesadas da prefeitura. Porém, a suspeita é de que alguns dos galões eram desviados e levados até uma chácara onde posteriormente eram vendidos.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS