BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Homem que incentivava invasões de terras é preso pela Polícia Militar

Nela é proibida a comercialização de terras, o desmatamento e a destruição da floresta, cabendo ao Estado a proteção dos recursos florestais e dos moradores tradicionais que lá estão.

Assessoria

20 de Fevereiro de 2017 às 15:47

Foto: Divulgação

Uma equipe do pelotão de Polícia Ambiental no município de Machadinho D’Oeste comandada pelo 1º tenente PM Camilo, com o apoio da 2ª Companhia de Policiamento Ostensivo, comandada pelo aspirarante PM Ferreira, realizou o cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pelo Juízo da comarca de Machadinho D’Oeste, contra Delcides Meireles, conhecido como “Cigano”.

O acusado é presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Reserva Angelim – Coopera. Segundo a PM, a Associação vem a mais de três anos sistematicamente destruindo a Reserva Extrativista Angelim, Unidade de conservação, onde apenas moradores extrativistas tradicionais podem residir e viver da exploração sustentável da floresta. A Reserva Angelim localiza-se no Município de Machadinho D’Oeste, sendo constantemente fiscalizada pela Polícia Ambiental local e pela Secretaria Estadual do Desenvolvimento Ambiental – Sedam.

Não pode

Nela é proibida a comercialização de terras, o desmatamento e a destruição da floresta, cabendo ao Estado a proteção dos recursos florestais e dos moradores tradicionais que lá estão. A PM infomou que a Associação em que “cigano” é o presidente estava loteando a Reserva, vendendo lotes com a promessa de que após o comprador ter derrubado todo o seu lote receberia os documentos da terra, tendo que contribuir com a mensalidade da associação. Caso o associado não derrubasse a mata do seu lote, este seria tomado de volta.

O motivo

O intuito da prisão preventiva era cessar todo esse comércio de terras da Reserva Angelim, e sobretudo o desmatamento e destruição da floresta. Foram bases para a expedição do mandado de prisão preventiva os crimes de associação criminosa, estelionato e os diversos crimes ambientais praticados na Unidade de Conservação. O Ministério Público do Estado de Rondônia já está solicitando a dissolução da referida associação.

O Mandado de Prisão foi cumprido na cidade de Cujubim/RO, local de residência de Delcides Meireles. Ele foi preso na praça municipal em frente à prefeitura, às 9h30, de domingo.

 Não houve resistência por parte do cidadão que foi levado para o presídio no município de Machadinho D’Oesteapós passar por exame de corpo de delito. A informação é do tenente PM Camilo, Comandante do 2 Pelotão de Polícia Ambiental em Machadinho D’Oeste.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS