BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Marinha não descarta sabotagem em “acidente” com balsas no Abunã

Marinha não descarta sabotagem em “acidente” com balsas no Abunã

Da Redação

25 de Setembro de 2015 às 11:11

Foto: Divulgação

O capitão de corveta Félix Carlos Júnior da Delegacia Fluvial da Marinha do Brasil em Porto Velho se pronunciou pela primeira vez, sobre a investigação

em andamento do acidente envolvendo duas balsas, que bateram contra os pilares da obra da ponte do Madeira, na ponta do Abunã (distante 230 km de Porto Velho).

O delegado disse que os dois procedimentos investigatórios instaurados para apurar o choque das balsas ainda não foram concluídos, mas que todas as hipóteses estão sendo consideradas, inclusive uma suposta sabotagem por parte da empresa Rodonave Navegações, dona das balsas.

O primeiro caso aconteceu no mês de fevereiro e o segundo no dia 25 de maio, quando o rebocador “César”, que conduzia a balsa Olívia, bateu em duas estacas das fundações da ponte.

“Cada procedimento tinha um prazo de noventa dias para ser concluído, mas precisamos prorrogar esse prazo por causa da complexidade das investigações. Já realizamos oitivas, ouvimos depoimentos, mas ainda falta muita coisa para a conclusão do relatório”, disse o delegado.

Félix Carlos esclareceu ainda que depois do primeiro acidente, a Marinha constatou que tanto a Rodonave, quanto a empresa responsável pela obra da ponte, a Arleste Construções, deixaram de cumprir algumas normas de segurança para navegabilidade no entorno da obra.

Ele informou ainda, que a Marinha expediu documento recomendando que as providencias fossem tomadas, mas mesmo assim, o segundo incidente voltou a ser registrado.

Até que os relatórios sejam concluídos, o delegado disse que não pode adiantar maiores detalhes da investigação, mas todas as hipóteses estão sendo levadas em conta, inclusive a de uma suposta sabotagem.

“ Eu não posso afirmar que a Rodonave provocou deliberadamente os acidentes, mas essa hipótese também está sendo investigada”, assegurou.

Quando concluída a investigação, a Marinha em Porto Velho vai enviar os relatórios para o Tribunal Marítimo.

Rodonave explora o serviço de travessia

Desde 1998 a empresa Rodonave Navegações explora o serviço de travessia de veículos na confluência dos rios Madeira e Abunã. Até aquele ano, a travessia era de responsabilidade do Exercito.

Um levantamento de 2013, aponta que a empresa faturava R$ 21,6 milhões por ano. A Rodonave pertence ao ex-deputado federal Roberto Doner, do Mato Grosso.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS