BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Fapero tem investimento de R$ 23 milhões para qualificar e formar pesquisadores

Fapero tem investimento de R$ 23 milhões para qualificar e formar pesquisadores

Da Redação

18 de Março de 2015 às 13:27

Foto: Divulgação

A Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) reabrirá editais para formação de pesquisadores. São bolsas para pós-doutorado, doutorado, mestrado, pesquisa, iniciação científica e para a educação básica, totalizando um investimento de R$ 23 milhões. O recurso foi prospectado junto à instituições de apoio, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq), com contrapartida do governo do estado.

Segundo o presidente da Fapero, Francisco Elder Souza de Oliveira, a quantidade de investimentos de 2014 e 2015, somente para a formação de pesquisadores, iniciação científica e desenvolvimento de pesquisas, é algo inédito em Rondônia.

Em um dos projetos, devido à carência de pesquisadores-doutores, o governo do estado, através da Fapero, firmou convênio com a Universidade Católica de Rondônia para a realização de um doutorado na área de ciências políticas, com área de concentração em políticas públicas na região amazônica, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), responsável por todo referencial pedagógico e professores.

Ainda segundo Elder de Oliveira, o curso é aprovado pela Capes e, conforme um dos alunos, Márcio Gabriel, os dois primeiros módulos foram muito proveitosos, com os professores doutores, Hélio Alves e Fabiano Engelman, que, para ele, são verdadeiras referências nacionais e internacionais nas linhas de pesquisa em que atuam.

Para este doutorado, com duração de quatro anos, foram lançadas 20 vagas, com aulas iniciadas em outubro de 2014. Na última segunda-feira (16), no Teatro Guaporé, em Porto Velho, foi realizada a palestra e aula inaugural de 2015, com a presença de autoridades estaduais e acadêmicos.

CONTRAPARTIDA

Márcio Gabriel ressaltou que o aluno contemplado com bolsa, sendo servidor do estado, tem que cumprir os requisitos legais estabelecidos na lei dos servidores, como ocupar cargo efetivo, permanecer no curso ou devolver os recursos investidos em caso de desistência e permanecer como servidor após a conclusão do curso, contribuindo com o conhecimento adquirido.

Atualmente, segundo Elder de Oliveira, a Fapero mantém chamadas para três bolsas com o CNPq para os cursos de Inserção Científica Júnior, destinado a alunos dos Ensinos Médio e Fundamental. São 25 proponentes (que devem ser professores doutores), e cada um poderá ter até quatro alunos, totalizando 100 bolsistas; o Programa Primeiros Projetos (PPP), que já está encerrado e em fase de análise, prevendo auxílio ao desenvolvimento da pesquisa. Serão contemplados 20 projetos e foram inscritos 60; e o Desenvolvimento Científico Regional (DCR), que busca atrair professores doutores de fora para permanecer no estado realizando pesquisas por pelo menos três anos, desenvolvendo projetos onde haja lacunas no estado.

Com a Capes há seis chamadas. A primeira de Iniciação científica (IC), voltada a alunos da graduação. Foram ofertadas 46 bolsas e a Fapero recebeu 64 projetos, totalizando 84 pedidos de bolsa. Este processo já está em análise; Mestrado e Doutorado, para apoiar a formação acadêmica profissional de docentes em programas de pós-graduação stricto sensu acadêmicos com concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Nesse caso, o docente tem que possuir algum vínculo obrigatório no estado. Ambos terão vagas remanescentes.

O programa pós-doutorado (PD), quer promover a interação entre doutores e empresas no estado de Rondônia, além de fortalecer os programas de pós-graduação existentes e apoiar a criação de novos programas de mestrado e doutorado e estimular a produção científica, assim como a criação e o registro de patentes. Esse está em análise; o Pesquisador Visitante Sênior (PVS), que busca atrair pesquisadores externos e aposentados, mas com reconhecida competência científica para auxiliar a pesquisa de jovens doutores e consolidar programas de pós-graduação stricto sensu no estado. Há duas vagas remanescentes.

O sexto projeto busca a formação de rede de pesquisadores através do Programa de Educação Básica (PEB), onde o projeto deve ser elaborado por um doutor, com vínculo a um programa de pós-graduação stricto sensu, que ficará encarregado de orientar um mestrando, e juntos irão orientar quatro professores da rede básica de ensino de escola pública, que por sua vez orientarão quatro alunos de iniciação científica júnior. Esse curso visa fortalecer a educação básica.

Elder de Oliveira ainda explicou que a bolsa para mestrado e doutorado para recém graduado será reaberta, pois foram apresentadas 13 propostas para mestrado e havia 35 vagas disponíveis; e para o doutorado foram 25 proposta com 47 vagas.

“Assim trabalha a Fapero, buscando parcerias com órgãos federais para fomentar a pesquisa em nosso estado, especialmente em áreas onde mais necessitamos, bem como, a formação de mestres e doutores que futuramente buscarão outros recursos para o estado e suas pesquisas”, disse Elder de Oliveira.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS