BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Estudos revelam a importância do sistema portuário de Rondônia

Estudos revelam a importância do sistema portuário de Rondônia

Da Redação

03 de Fevereiro de 2014 às 05:00

Foto: Divulgação

O presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (Soph), José Ribamar da Cruz Oliveira, afirmou ao participar do programa Campo e Lavoura, que o Ministério dos Transportes possui estudos que revelam que o potencial do sistema portuário de Rondônia é mais importante que o Porto de Paranaguá.
José Ribamar da Cruz Oliveira anunciou que o Governo Federal está investindo R$ 21 milhões na ampliação e aquisição de novos equipamentos para modernizar o porto na capital, que no ano de 2013 movimentou 11 milhões de toneladas de cargas, entre embarque e desembarque. De acordo com José Ribamar, o Governo de Rondônia investiu R$ 10 milhões na manutenção do sistema portuário.
Os levantamentos do Ministério dos Transportes mostram que o porto rondoniense tornou-se estratégico pela sua posição geográfica encurtando a distância entre os principais mercados consumidores na Europa, Ásia e Estados Unidos. A carne, a soja, o milho e outros produtos de Mato Grosso e Rondônia estão deixando naturalmente de ser exportados pelos portos de Santos e Paranaguá para serem escoados pelo rio Madeira.
A demanda é grande e exige investimentos para o porto público atender os produtores rurais e empresários da região, mesmo com a iniciativa privada construindo outro porto. Ele lembrou que foi graças ao trabalho do governador Confúcio Moura, do senador Valdir Raupp e da deputada Marinha, em Brasília, que o Ministério dos Transportes decidiu investir no Porto de Rondônia, 25 anos depois de inaugurado.
O aumento nas exportações se torna mais significativo tendo em vista o crescimento médio de 20% ao ano nas lavouras rondonienses. O rebanho bovino deste estado, com mais de 12 milhões de cabeça, cuja carne é exportada para 31 países, prossegue num ritmo crescente. Por outro lado, o volume de cargas no porto da capital cresceu 4,54% em 2013.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS