ESQUECIDO - Jornalista rondoniense pede ajuda após convalescer de acidente cerebral em Brasília

ESQUECIDO - Jornalista rondoniense pede ajuda após convalescer de acidente cerebral em Brasília

Da Redação

07 de Novembro de 2010 às 12:21

Foto: Divulgação

O jornalista Jorcêne José Martínez, 68 anos, está convalescendo de um acidente vascular cerebral (AVC) que o acometeu em junho deste ano. Atendido no Hospital Regional de Ceilândia, desde aquele período ele está acamado. Tem ferimentos nos braços e nas costas, cujo tratamento é feito com pomada de sebo de carneiro. Sente dores e se alimenta com dificuldade, pois há tempos perdeu os dentes.
 
O filho Diego informa que ele aguarda a possibilidade de se acomodar num colchão d’água e para poder passar pelo menos uma parte do dia numa cadeira de rodas. Ao mesmo tempo, Diego reúne documentação médica para dar entrada ao pedido de aposentadoria do jornalista, por invalidez.
 
Em Porto Velho, Martínez trabalhou para os jornais A Tribuna, O Guaporé, O Imparcial, na sucursal de O Parceleiro (Ariquemes), O Estadão de Rondônia (e do Norte), e na sucursal da Empresa Brasileira de Notícias (hoje Empresa Brasileira de Comunicação). Em Brasília assessorou o então deputado Maurício Calixto e os então senadores Ernandes Amorim e Rubens Moreira Mendes. Colaborou ainda com o deputado Eduardo Valverde.
 
Desempregado há seis anos, atualmente ele não dispõe de recursos para melhorar o tratamento de saúde. A companheira Amábia trabalha fora, deixando-o sob os cuidados dos filhos Diego e Rock. Se a dificuldade de locomoção já o acompanhava desde 1978, quando chegou em Rondônia a serviço do “Jornal do Brasil”, com o AVC o quadro piorou. Mesmo assim, ele se considera um “abençoado por Deus”, porque consegue falar, ainda que pausadamente. Aos que o visitam, pede desculpas por não poder se levantar. Chora e pede um abraço. No final da tarde, alguns vizinhos se reúnem com ele, em orações.
 
Quando ouve os nomes dos amigos e de pessoas conhecidas, Martínez esboça reação. Os olhos brilham. Em seguida, ele repete os nomes e também pergunta dos que já faleceram. Vez ou outra quer saber das pessoas, de lugares e da cidade de Porto Velho, onde nunca mais esteve desde quando assessorou políticos.
 
O endereço do jornalista é:
 
QNP 30 Casa 11 P Sul
 
72235-260 Ceilândia Sul (DF)
 
Telefone do filho Diego: 61 8452 8143
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS