BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Seagri quer fortalecer cultivo da banana em Rondônia

Entre os mais de 100 países que cultivam a banana, o Brasil figura como o 3º maior produtor mundial. Em Rondônia, a fruta também ocupa lugar de destaque.

Da Redação

08 de Outubro de 2009 às 15:40

Foto: Divulgação

Entre os mais de 100 países que cultivam a banana, o Brasil figura como o 3º maior produtor mundial. Em Rondônia, a fruta também ocupa lugar de destaque. No entanto, a bananicultura é atacada por diversas pragas e doenças. Em razão disso, a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri) realizou recentemente um curso sobre a cultura da banana no Centro de Pesquisa Agroflorestal de Rondônia, Embrapa. A iniciativa teve o propósito de capacitar agrônomos e técnicos do setor (Embrapa, Seagri, Emater, Ceplac, Idaron e Superintendência Federal de Agricultura) e transferir informações técnicas para expandir a área de plantio da cultura.
Entre os temas discutidos, foram abordadas questões como planejamento do bananal, clima, solos e preparo de área, adubação e calagem, seleção e preparo de mudas, tratos culturais, doenças e pragas e método de controle químico das doenças da bananeira. A partir dos dados apresentados nos dois dias de curso, os participantes terão a missão de treinar os técnicos dos municípios produtores de banana que não participaram do curso. O passo seguinte é a implantação de Unidades Demonstrativas.
 
Doenças
Conforme Francisco Evaldo de Lima, secretário estadual adjunto de Agricultura, o curso veio atender principalmente a necessidade de ampliação do conhecimento sobre a ocorrência das diversas doenças que atacam a banana no Estado. A exemplo da Sigatoka Negra, Mal do Panamá e Moko da Bananeira. Doenças que são apontadas pelos pesquisadores como as principais responsáveis pela baixa produtividade média anual no Estado que é de 8,4 toneladas por hectare. Um percentual bem inferior à média nacional que é de 14 toneladas por hectare ao ano. “Precisamos estabelecer estratégias de controle e prevenção contra estas doenças para evitar prejuízos e aumentar a produtividade”, disse Evaldo.
De acordo com Nelson Rampazzo Rosário, engenheiro agrônomo da Seagri, Rondônia já chegou a produzir até 40 toneladas por hectare. “Sem contar que as doenças reduziram e muito o cultivo de banana no Estado: A área plantada reduziu de 30 mil hectares para seis mil”, disse Rampazzo. O engenheiro enfatiza que para contornar os problemas de sanidade no bananal, o produtor precisa investir mais nos tratos culturais e na adubação. Por isso mesmo a Seagri vem buscando fomentar a tecnologia e dar respaldo técnico, “respeitando, é claro, a vocação do produtor rural e as particularidades de cada região”, finalizou o secretário adjunto.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS