BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Esposas de policiais militares realizam manifestação em frente ao Batalhão por melhores salários - Fotos

Esposas de policiais militares realizam manifestação em frente ao Batalhão por melhores salários - Fotos

Da Redação

09 de Julho de 2008 às 09:25

Foto: Divulgação

Matéria atualizada às 10h15 para acréscimo de informação Na manhã dessa quarta-feira (09) um grupo com mais de 50 mulheres, esposas de policiais militares, continuaram com a manifestação que foi iniciada ontem (08) às 18h00, em frente ao 1º Batalhão da Polícia Militar, próximo à Assembléia Legislativa (ALE/RO). As mulheres estão fazendo rodízio no local para que a manifestação prossiga sem interrupção. Elas estão reivindicando reajuste salarial para a categoria junto ao Governo do Estado. De acordo Sônia Maria dos Santos, presidente da Associação De Esposas Pensionistas e Familiares de Policiais e Bombeiros Militares, desde o final da tarde de terça alguns serviços estão paralisados. Algumas viaturas já estão paradas no pátio e policiais não estão à serviço. É aguardado uma comissão de negociação do Comando da PM para conversar com as mulheres e tentar chegar um acordo sobre a paralisação parcial. A informação apurada junto à Associação é que está ocorrendo outra manifestação no município de Guajará-Mirim e que lá a PM está paralisada. Sônia Maria disse à reportagem que o interesse das manifestantes - que estão com faixas e gritando palavras de ordem - é conseguir um posicionamento oficial do governador Ivo Cassol sobre o reajuste salarial dos policiais militares e bombeiros. A presidente da Associação disse também que se não houver nenhum acordo a segurança do Carnaval Fora de Época estará comprometida. No 1º Batalhão foi observado pela reportagem que algumas viaturas estão com os pneus murchos, impossibilitados de sair. VEJA TAMBÉM: *- Mulheres de policiais pretendem lacrar portões de quartéis com correntes e cadeados *- CUT/RO e Sindicatos apóiam manifestação de esposas de militares em frente ao Batalhão *- Paralisação da Polícia Militar pode ter atingido capital e interior
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS