BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Chuvas atrapalham finalização da primeira etapa de recadastramento dos ribeirinhos pela Semas

Chuvas atrapalham finalização da primeira etapa de recadastramento dos ribeirinhos pela Semas

Da Redação

08 de Março de 2007 às 12:43

Foto: Divulgação

* As chuvas têm sido um grande empecilho para a finalização do cadastramento de famílias que moram em área de risco. Mesmo assim, a prefeitura de Porto Velho está na reta final e já cadastrou cerca de 200 famílias que devem receber o benefício, em várias áreas da capital, como no Baixo Madeira, Cai n?Água,bairro do Roque, São Sebastião, Tancredo Neves e outros.

* Segundo o chefe do departamento de Ação Comunitária, Francisco Gedeam, a resistência das famílias em sair do local onde moram há muito tempo chega a 98%, e isso acaba retardando a execução do projeto, uma vez que muitas pessoas trabalharam na área, têm filhos que estudam em escolas do bairro ou não querem abandonar suas casas.

* O cadastramento começa com uma triagem feita pela assistência social da Semas, que analisa algumas prioridades, como a quantidade de crianças na casa, se há deficientes físicos e principalmente se a renda da família é mesmo abaixo de 300 reais. Feito isso, os técnicos do corpo de bombeiros são chamados ao local para que façam a avaliação do imóvel e da área, e emitam o laudo com o parecer definitivo, no qual consta o fator de risco em que aquela família está exposta.

* Nos casos mais urgentes, a prefeitura disponibiliza um local para estas famílias, que podem ir para albergues ou até mesmo hotéis. Após a doação do terreno, para onde serão levadas as famílias, começa a etapa da reconstrução da casa, podendo inclusive ser reaproveitado o material da casa antiga, com o apoio da prefeitura.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS