BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CUIDADOS: Dietas restritivas não são recomendadas na quarentena; entenda!

As dietas restritivas possuem como uma das características principais a diminuição do consumo de carboidratos

TERRA

01 de Abril de 2020 às 12:19

Foto: Divulgação

Quem nunca ouviu falar que a prática regular de exercícios físicos juntamente com uma alimentação balanceada é a melhor saída para se ter uma vida saudável, que atire a primeira pedra. E essa máxima se faz ainda mais necessária em tempos de pandemia, já que essa combinação é a chave para aumentar a imunidade do nosso corpo.

 

Isso não significa que você vai estar imune à Covid-19. O que acontece, na realidade, é que o sistema imunológico trabalha na defesa do nosso organismo contra agentes infecciosos e "como a pandemia é causada por um vírus, um sistema imunológico forte proporciona ao nosso corpo as ferramentas necessárias para combatê-lo", esclarece a nutricionista do Hospital Adventista Silvestre, Katherine Andrade.

 

E ter uma alimentação balanceada não é entrar em dieta restritiva, não! Comer saudável é investir em um prato rico em nutrientes, com legumes, saladas e frutas variadas e alimentos in natura. "É imprescindível o consumo de bastante vegetais e frutas, em especial as que são ricas em vitamina C, como laranja, limão, maracujá, acerola, kiwi , tangerina e caju e o consumo de castanhas, em especial a do Pará, por ser rica em Selênio, um mineral importante para o sistema imunológico", afirma a profissional.

 

Comer pouquíssima quantidade ao longo do dia e cortar determinados grupos de alimentos não é a melhor opção para esse momento que estamos passando, de acordo com a nutricionista.

 

"As dietas restritivas possuem como uma das características principais a diminuição do consumo de carboidratos, que são responsáveis pela energia do nosso corpo. Isso é um erro pois é justamente em época como a que estamos vivendo que nosso corpo demanda energia para seu pleno funcionamento". Ela complementa: "além disso, as dietas restritivas são, em geral, pobres em fibras e vitaminas, o que facilita para o praticante dessas dietas apresentar um quadro de anemia, fraqueza, mal estar e hipovitaminose".

 

Andrade explica também que adotar uma dieta restritiva ajuda a aumentar o nível de cortisol no organismo, conhecido como o hormônio do estresse, elemento comprovado como responsável em baixar a imunidade.

 

Como manter o corpo saudável estando em quarentena?

 

Para manter um corpo saudável, com a balança equilibrada e a saúde forte durante a quarentena, a nutricionista recomenda usar a própria casa para fazer atividades físicas. "Pacotes de 5 kgs de arroz para um levantamento de peso, usar o espaço da sala para abdominais e flexões, subir e descer as escadas algumas vezes por dia são boas alternativas de exercícios durante a quarentena", diz. Além disso, alguns aplicativos gratuitos e canais no YouTube estão disponibilizando uma série de exercícios que vão te ajudar a se exercitar em casa.

 

Como a dica é fugir de dieta restritiva e se alimentar bem, com os nutrientes, fibras, vitaminas e minerais fundamentais para o seu corpo, Andrade indica "consumir pelo menos 3 tipos de frutas e de 4 a 5 tipos de vegetais, como legumes e verduras, por dia. Além de ingerir proteínas de origem animal, como leite, ovos, carne, frango e peixe; e proteínas de origem vegetal, como castanhas, feijões, ervilha, lentilha, grão de bico, soja", completa.

 

Como evitar o contágio

 

Para evitar a disseminação do coronavírus, a Organização Mundial da Saúde recomenda que seja adotada apenas medidas preventivas, como a quarentena - para evitar o contato físico -, o uso de álcool em gel 70% e lavar as mãos com água e sabão, entre os dedos, até o dorso. Alimentos ajudam a reforçar a imunidade do corpo e não foram comprovados como uma maneira de evitar o contágio do vírus.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS