BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

TÓQUIO 2020: Olimpíadas e Cassinos prometem boom no turismo japonês

Assim como as Olimpíadas de 1964 reformularam a imagem internacional do Japão, as Olimpíadas de 2020 oferecem uma oportunidade de mudar a percepção do país como a terra das décadas perdidas

DA REDAÇÃO

17 de Janeiro de 2020 às 20:17

Foto: Divulgação

Tóquio é uma das principais cidades japonesas e é conhecida por ser um dos maiores destinos turísticos do Japão. A realização das Olímpiadas em 2020 e a construção de cassinos na cidade durante esse e os próximos anos prometem um enorme boom no turismo japonês.

 

Olímpiadas 2020: investimentos e atenção mundial devem aumentar turismo

 

A última vez que o Japão sediou os Jogos ocorreu no longínquo ano de 1964. A ocasiãonão marcou apenas a primeira edição dessa competição na Ásia, como mostra esse compilado histórico das sedes das Olímpiadas, mas também marcou o ressurgimento do país a partir da era pós-guerra e seu retorno ao cenário global como uma grande força econômica.

 

Desde a escolha de Tóquio como sede dos Jogos Olímpicos em 2020, espera-se que o Japão consiga alcançar um resultado similar. Por exemplo, logo após saber da vitória do país, o primeiro-ministro Shinzo Abe afirmou que a realização do evento proporcionava uma chance de uma nova virada econômica.

 

"Quero tornar as Olimpíadas um gatilho para varrer 15 anos de deflação e declínio econômico" afirmou Abe. Outros economistas chegaram até mesmo a chamar os Jogos de "quarta flecha" da chamada Abenomics, diretrizes adotadas em 2012 e reformuladas em 2017, que contam com “três flechas” de políticas econômicas voltadas para flexibilização monetária, estímulo fiscal e reformas estruturais.

 

Segundo o Banco do Japão, os Jogos podem oferecer um impulso temporário à economia do país de duas formas. A primeira é o aumento dos gastos com infraestrutura antes do evento e a segunda é o crescimento do turismo. O investimento em construção relacionado às Olimpíadas, como a construção e reforma de estádios, vilas de atletas, hotéis e desenvolvimento de transportes, está previsto para atingir de 8 a 10 trilhões de ienes (R$ 38 bilhões).

 

Os projetos estão em andamento e devem atingir o valor máximo até o final de 2019. O banco central japonês estima que isso poderia elevar o PIB em 0,4% a 0,6% anualmente até esse período.

 

Da mesma forma, também se espera que as Olímpiadas representem um bom crescimento na indústria de turismo. Durante os anos de preparação para a realização do evento o governo japonês, com destaque para os esforços do primeiro-ministro Abe, tomou várias iniciativas para melhorar a experiência de turistas estrangeiros, como maior acesso à Internet sem fio,  rede de transporte atualizada, mais sinais em inglês e revitalização regional para atrair mais turistas aos principais destinos japoneses.

 

Inclusive, o país espera receber muitos turistas brasileiros durante a realização das Olímpiadas em 2020 e é relativamente para os interessados se prepararem para realizar essa viagem. Segundo estimativas do banco central japonês, a realização dos Jogos aliada a todas essas medidas deve aumentar o número de visitantes estrangeiros de 28,7 milhões em 2017 para 40 milhões em 2020.

 

Assim como as Olimpíadas de 1964 reformularam a imagem internacional do Japão de um país devastado pela guerra para uma nação moderna e tecnologicamente avançada, as Olimpíadas de 2020 oferecem uma oportunidade de mudar a percepção do país como a terra das décadas perdidas.

 

O principal desafio em relação a questão dos benefícios econômicos das Olímpiadas, em especial o relacionado ao crescimento dos gastos com infraestrutura, seria garantir que o investimento na área não parasse após a realização dos Jogos. Felizmente, a construção de cassinos no país pode proporcionar um bom auxílio nesse quesito.

 

Tóquio em preparação para receber as Olimpíadas

 

Cassinos são a segundo fator responsável por crescimento

 

O segundo fator responsável pelo possível boom no turismo japonês é a construção de cassinos nos próximos anos. O Japão ainda não conta com cassinos, mas diversas propostas para o desenvolvimento desse setor foram aprovadas no país ao longo dos últimos anos e há interesse de vários grupos.

 

Além de Tóquio, oito jurisdições (Hokkaido, Chiba, Yokohama, Nagoya, Osaka, Wakayama e Nagasaki) responderam a uma pesquisa do governo dizendo que estão interessadas em hospedar os futuros cassinos, que devem ser construídos no formato de mega resorts que incorporarão hotéis, centros de conferências e estabelecimentos comerciais.

 

Pouco tempo após o anúncio da intenção dessas cidades de receberem cassinos, o presidente do braço japonês da renomada empresa de jogos de cassino Wynn Resorts Development, Chris Gordon, deu várias entrevistas a jornais japoneses sobre o desejo da empresa de construir o "maior resort integrado do mundo", com Tóquio, Osaka e Yokohama sendo as escolhas favoritas para a sua construção.

 

A Galaxy Entertainment Group Ltd., companhia do mesmo setor de cassinos sediada em Hong Kong, também divulgou um comunicado para a imprensa japonesa dizendo estar satisfeita com o progresso no mercado do país e indicando seu interesse na região. Segundo dados do banco central japonês, a realização das Olímpiadas em conjunto da construção desses novos cassinos, deve resultar em um crescimento no número de turistas para 60 milhões em 2030, valor que representaria um aumento de mais de 20 milhões do número previsto para 2020.

 

Cassino e resort MGM nos Estados Unidos: setor de cassinos é responsável por milhões de turistas no país

 

Possíveis impactos positivos podem ser replicados em outros países

 

O Brasil já contou com Olímpiadas em 2016 e o país obteve uma série de benefícios econômicos relacionados ao turismo nos anos seguintes após a realização dos Jogos Olímpicos.

 

Mesmo que o Brasil ainda não tenha investido no desenvolvimento da sua indústria de cassinos, os brasileiros já podem ter acesso aos principais jogos através de sites como a Betway online cassino.

 

Ainda assim, a nação brasileira possuí um histórico de parcerias e inspirações em outros países para o desenvolvimento da sua economia, como uma união com o Japão e a China para o desenvolvimento de tecnologia de campo, e o mesmo pode ocorrer com a introdução de cassinos no país, medida que inclusive está nos planos do Brasil para atrair turistas.

 

Para entender os possíveis impactos econômicos da chegada de cassinos por aqui, é possível observar os dados gerais de turismo em cassinos dos Estados Unidos.

 

Segundo dados do prestigiado site norte-americano Finsmes, atualmente mais de 80 milhões de pessoas se envolvem com o turismo de jogos nos Estados Unidos a cada ano, com receita bruta de jogos nas cinco principais regiões de cassinos do país totalizando quase US$ 12 bilhões (R$ 48 bilhões).

 

É importante ressaltar que esse impacto econômico está relacionado principalmente aos complexos de resorts com cassinos e não estabelecimentos que são apenas cassinos, que são os que devem ser construídos no Japão.

 

Medidas econômicas benéficas devem ser reproduzidas de forma internacional Considerando que o Brasil já contou com os benefícios econômicos do turismo com a realização das Olímpiadas e que o Japão deve utilizar a realização dos seus Jogos para desenvolver o seu setor de cassinos para aproveitar essa onda positiva ainda mais, essa medida também pode ser copiada para gerar impactos positivos no país.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS