BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AGENDA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

Depois de várias tentativas, ontem dia 30 de novembro, o pessoal da Cultura foi convidado a participar de uma reunião na Câmara de Vereadores de Porto Velho

zékatraca

01 de Dezembro de 2018 às 10:52

Foto: Divulgação

Duas reuniões importantes aconteceram no dia ontem, relativas a cultura em Porto Velho e no estado de Rondônia como um todo.

 

*********

 

A primeira aconteceu na Câmara de Vereadores sob a coordenação do vereador Márcio Miranda e tratou a famigerada Lei 190 Essa Lei emperra praticamente tudo que se deseja realizar em termos de cultura na capital de Rondônia.

 

**********

 

Começa que a 190 foi criada em meados d década de 1990 com o intuito de prejudicar um Bloco Carnavalesco e o resultado foi que pegou tudo quanto foi segmento cultural. Na realidade o menos prejudicado à época foi o Bloco por não ser registrado como empresa e nem ser o realizar do desfile. A pessoa que autorizou a elaboração da Lei se ferrou, é como diz o ditado: “O Tiro saiu pela culatra”.

 

***********

 

A primeira ação dos fiscais da prefeitura em cumprimento a maldita Lei aconteceu no show da cantora Ceiça Farias que estava acontecendo no Teatro 1 do Sesc Esplanada. Ceiça foi autuada a pagar multa por n ão estar com a documentação burocrática exigida pela dita Lei em dia. O negócio foi parar na justiça e a última vez que soubemos do valor da multa, estava em mais de 5 Mil.

 

*********

 

Desde sua sanção que a 190 v em causando polêmica entre os produtores culturais de Porto Velho e a municipalidade. É preciso muito jogo de cintura para se colocar um espetáculo no ar.

 

*********

 

Muitas tentativas de se adaptar a realidade já foram feitas e nada resolveu. Quando o Émerson Castro assumiu a prefeitura, quase que conseguia anular alguns artigos da Lei. O negócio estava correndo muito bem, mas, Émerson teve que deixar a prefeitura e ficou o dito pelo não dito.

 

*********

 

Depois de várias tentativas, ontem dia 30 de novembro, o pessoal da Cultura foi convidado a participar de uma reunião na Câmara de Vereadores de Porto Velho, comandada pelo vereador Márcio Miranda que contou com a participação do vereador Alecks Palitot, presidente da Funcultural Ocampo Fernandes, SECRETÁRIO DA Semfaz João Altair além do líder do movimento Pro Culturas Rômulo, Presidente da Funcer Fabiano Barros, ex presidente da Fundação Cultural de PVH Jória Lima e o Diretor de Cultural atual da Funcultural Altair – Tatá.

 

**********

 

A negociação estava correndo bem, até o secretário da Semfaz questionar: “Vocês querem ANARQUIZAR os eventos culturais em Porto Velho, acabando com a Lei 190.

 

**********

 

Aí o bicho pegou. Na reunião estavam produtores culturais advogados, administradores, gestores, historiadores, museólogos, psicólogos entre outros especialistas, que apesar de serem profissionais liberais, também são produtores culturais.

 

*********

 

“Por um acaso, o senhor sabe pelo menos o significado de ANARQUISTA?

 

*********

 

O cara esperneou, esfregava as mãos, que deveriam ter ficado geladas, olhava pro teto em busca de uma ajuda de “cima”, passava a mão nos cabelos e a turma descendo o malho, dentro dos princípios cabíveis para o ambiente.

 

************

 

A outra reunião aconteceu entre o povo da cultura popular, Escolas de Samba e Grupos Folclóricos com o dirigente do DER com a participação ativa do deputado Sargente Eyder Brasil, sobre o Processo da Construção da Cidade da Cultura.

 

************

 

Nessa reunião foi só alegria. Presentes: Fernando Rocha (Federon), Makumbinha (Fesec) Mary Cyane (Anajup) e vários presidentes de escolas de samba. Técnicos da Sejucel. Secretário adjunto do DER Eduardo além do Deputado Eyder Brasil.

 

***********

 

Vem aí a Cidade da Cultura!

 

 

Dia do Samba na festa do

Samba Autoral, no Mercado

 

O Dia do Samba será comemorado neste sábado 1º de dezembro, com a realização da 39ª edição do Projeto Samba Autoral marcado para começar as 15 horas no Mercado Cultural.

 

A comemoração faz parte da programação da prefeitura municipal de Porto Velho através da Funcultural, que está disponibilizando toda a estrutura de sonorização e iluminação à coordenação do Projeto da Escola de Samba Asfaltão. “Será a última edição do ano de 2018 do nosso Samba Autoral e nada mais justo, que realizá-la num espaço como o do Mercado Cultural”, disse a responsável pela divulgação do Projeto Sílvia Pinheiro.

 

Pelo segundo ano consecutivo, a Funcultural de Porto Velho, leia-se equipe do Ocampo Fernandes, produz a festa pelo Dia do Samba. “Ano passado trouxeram do Rio de Janeiro três expoentes do samba brasileiro  Marquinhos PQD, Juninho Thibau e Brasil do Quintal” lembrou Sílvia, este ano prosseguiu, a festa será apenas com nossos sambistas, concluiu a também compositora e líder do grupo As Pastoras do Asfaltão.

 

A programação na tarde de hoje, começa com o show do Grupo Guaporé entre as 14 e as 15h30. A partir das 16 horas, começa pra valer o Projeto Samba Autoral. Confirmaram presença: MÚSICOS: Vinícius, Rafael, Michel, Jair, Ênio, Cebolinha e Padoca.

 

COMPOSITORES: - Makumbinha, As Pastoras, Misteira, Ernesto Melo, Jorge Macumba, Oscar Knigtz, Toninho Tavernard, Cristóvão Nascimento, Sílvio Santos e Mestre Bainha.

 

O Dia do Samba é 2 de dezembro, porém, como este ano cai num domingo, a Funcultural antecipou a festa para o sábado dia 1º. “Acontece que domingo, as pessoas preferem curtir a família em casa e mais, este domingo especificamente, é especial, pois, será a última rodada do Campeonato Brasileiro – Brasileirão que apesar de já ter o campeão, ainda está muito importante principalmente, no lado de baixo da tabela onde vários times importantes tentam se livrar do rebaixamento para a segunda divisão. Por isso vamos todos festejar o Dia do Samba na tarde deste sábado, a partir das 15 horas, no Mercado Cultural”, disse Ocampo Fernandes.

 

Lembrando que não será cobrado nem um tipo de ingresso. “O sambista só vai pagar o que consumir de bebida e tira-gosto”, finalizou Oscar Knigtz.

 

 

 

D’PALMA

 

Ballet com tema indiano será

apresentado no Cláudio Coutinho


 

Com tema indiano, no gênero drama/tragédia, fantasias coloridas e exóticas, a escola de ballet D’Palma apresenta neste sábado (01/12) e domingo (02/12) o espetáculo La Bayadère (a baladeira) no Ginásio Cláudio Coutinho, às 19 horas. Entrada R$ 20,00 todos pagam meia. O corpo de baile é formado por 106 bailarinas (crianças, jovens e adultos).

 

 

La Bayadère é um ballet de repertório (quando a história é narrada por meio da dança). Sua estreia ocorreu na Rússia em 1877. São três atos e cinco cenas. O ballet conta a história de amor impossível entre Nikiya e Solor - ela, dançarina de um templo hindu; ele, um nobre guerreiro. A direção é da professora e coreógrafa Edcleia Jucá. As coreografias são de Jucá e Ângela Araújo.

 

Além do ballet de repertório, a mostra terá ainda a parte de divertissements, com apresentações de jazz, moderno e contemporâneo. A diretora afirmou que o espetáculo é resultado do trabalho realizado com as alunas desde fevereiro, quando iniciaram as aulas.

 

 

Palácio das Artes

 

Apesar de o Teatro Palácio das Artes ter sido desinterditado (com restrições) na terça-feira (27/11), o D’Palma optou em permanecer com o espetáculo no Cláudio Coutinho, mesmo o local sendo inadequado para apresentação de dança.

 

De acordo com Edcleia, em virtude de o teatro ter sido liberado apenas três dias antes da realização do espetáculo, não havia tempo hábil para alterar toda a documentação na Prefeitura e nos Bombeiros para transferir a mostra de dança para o teatro.

 

 

Caixa cênica

 

A interdição do teatro ocorreu em outubro passado. Para desinterditar o espaço, os Bombeiros retiram todas as varas de sustentação, a iluminação e as cortinas, ficando a caixa cênica vazia. (Fonte: Blog de Ponta Cabeça).

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS