BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Lucas Araújo adotou um novo estilo administrativo na empresa familiar COENG

COLUNA

10 de Novembro de 2014 às 09:14

Foto: Divulgação

João Albuquerque – Folha Jovem

 

Ele chegou a jurar certa vez  que nunca mais voltaria a um canteiro de obras. Foi na infância, quando numa das frequentes visitas que fazia a construções acompanhando  o pai, o engenheiro Emerson Fidel Campos Araújo, testemunhou  o sofrimento do irmãozinho, Felipe Teixeira Campos Araújo, hoje com  21 anos,  ao se ferir  num prego.

Mas como no empreendedorismo para chegar ao topo do sucesso é necessário vencer os obstáculos que surgem ao longo  do caminho, Lucas Araújo, livrou – se  do trauma de criança e realizou o sonho de abraçar a profissão do pai que aprendeu a admirar muito cedo.

O irmão também seguiu a mesma vocação e quando concluir o curso de engenharia na Universidade Positivo  no Paraná no ano que  vem retornará para Porto Velho, trazendo na bagagem mais conhecimentos acadêmicos para colaborar na modernização que o primogênito iniciou na empresa criada pelo pai há 25 anos.

A COENG Engenharia ganhou uma nova  dinâmica em 2012, quando Lucas retornou de Curitiba graduado em engenharia civil pela Universidade Positivo. “Uma das minhas primeiras medidas foi investir na certificação na ISO 9001 e PBQP-h nível A”, recorda o jovem empreendedor sobre o concorrido certificado de excelência na qualidade do produto, que apenas uma empresa da construção civil de Rondônia tinha na época.

Com a  sua chegada, avaliada como um divisor de água na história da organização, iniciou-se a construção da sede própria, implantou-se um Sistema de Gestão Integrada (SGI), pelo qual  todos os processos estão interligados, enxugou as equipes de trabalho reduzindo o número de funcionários em 65% , aumentando a competitividade da empresa, bem como outras novidades como um site mais interativo para os clientes, nova logomarca e uma avaliação eficaz dos resultados da companhia, cujos processos e o trabalho em equipe passaram por uma padronização.

Para mudar a realidade da empresa  já consolidada no mercado rondoniense, ele  não se valeu apenas do diploma de Engenharia Civil. Sua afinidade com a área de gestão foi fundamental  para conseguir imprimir a nova visão empresarial. “O grande desafio hoje é inovar”, frisa ele.

Embora apresente um forte traço para gestor,  o engenheiro civil, deixa claro que jamais vai relegar a sua formação acadêmica a segundo plano e continua firme na busca de novos conhecimentos na profissão  para qual sempre se dedicou. Hoje, está cursando pós – graduação em gestão de qualidade de gerenciamento de obras pelo Instituto de Pós – Graduação - IPOG - de Goiânia.

Como todo empreendedor que se preza ele está preocupado com o desenvolvimento local. Hoje, é filiado a Associação dos Jovens Empresários do Estado de Rondônia (AJE – RO) para a ajudar em projetos de interesse da coletividade.

"No mundo atual, as empresas deixaram de ser privadas e para se destacar, é necessário que a organização esteja inserida na sociedade buscando melhorar a vida das pessoas”.

Segundo ele, ser associado a AJE-RO é gratificante, porque além de novos contatos e oportunidades de investimentos os demais associados são considerados   amigos, que lutam pela melhoria do Estado.

“Sou de Porto Velho, estudei oito anos em Curitiba uma cidade que é referência pela qualidade de vida e vejo que a nossa cidade pode, também ,ser um bom lugar para se viver”, conclui Lucas Araújo, o construtor de sonhos.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS