BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SILICONE: É mito que a prótese prejudica a amamentação, afirma o médico Marcelo Almeida

“Esse receio ocorre pela simples falta de informação”, declara o cirurgião

Rondoniaovivo

18 de Julho de 2020 às 16:46

Foto: Divulgação

O cirurgião plástico Marcelo Almeida, de Porto Velho, afirma que uma das perguntas mais corriqueiras em seu consultório é se a mulher pode amamentar normalmente após colocar prótese de silicone.

 

“De fato essa é uma das grandes preocupações por parte das mulheres, por conta disso, muitas delas optam em fazer esse procedimento após a gestação. Mas esse receio ocorre pela simples falta de informação”, diz.

 

De acordo com o cirurgião, a prótese de silicone pode ser colocada tanto em cima como atrás do músculo peitoral. “Em quaisquer uma delas, o tecido mamário ficará sobre a prótese, não tendo alterações em relação a amamentação”, garante.

 

Esse procedimento pode ser realizado de três formas diferentes:

 

Via axilar– nesse procedimento, a prótese é inserida através de uma incisão na axila.

 

Via sulco mamário- é inserida por meio de uma incisão na base da mama.

 

Via Periareolar– quando a prótese é colocada através de uma incisão em torno das auréolas

 

 

Nesses três casos, de acordo com o médico, se as incisões não lesarem os ductos mamários, a amamentação não será afetada.

 

Flacidez da mama

 

Marcelo Almeida explica ainda que o procedimento que poderá alterar de alguma forma a amamentação é o chamado mastopexia, que é o levantamento das mamas.

 

Essa cirurgia é executada em mulheres que têm muita flacidez mamária da pele, associado a flacidez do tecido mamário e do tecido gorduroso.

 

“Dessa forma, que tem a mama mais flácida/ caída necessita retirar o excesso de tecido mamário de pele e de gordura. Esta é a cirurgia com maior possibilidade de risco de diminuir as chances de a mulher amamentar”, frisa o especialista.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS