MAL SÚBITO: Ex-ministro de Bolsonaro, Gustavo Bebianno, morre no Rio aos 56 anos

Gustavo Bebianno, ex-ministro de Bolsonaro, depois desafeto, morreu esta manhã após um infarto fulminante, aos 56 anos, diz o Globo.

DCM

14 de Março de 2020 às 06:22

Atualizada em : de de às

Foto: Divulgação

 

Bebianno estava em seu sítio em Teresópolis junto com um caseiro e seu filho.

 

Segundo o presidente estadual do PSDB, Paulo Marinho, por volta de 4h30 ele comunicou ao filho que estava passando mal e se dirigiu ao banheiro para tomar um remédio. Minutos depois, sofreu uma queda e teve ferimentos na cabeça.

 

Bebianno foi levado para uma unidade hospital da cidade, mas não resistiu, conta o jornal.

 

Gustavo Bebianno, teve a sua saída do governo em fevereiro de 2019 e tornou-se pivô da primeira crise política do governo, gerada pela suspeita de que o PSL, então partido de Bolsonaro, fez uso de laranjas nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas.

 

Ele foi uma das figuras mais próximas ao presidente durante a campanha e atuou como um dos conselheiros do então candidato na disputa.

 

Ganhou a confiança de Bolsonaro a ponto de dirigir o partido durante a eleição e de acompanhar de perto a recuperação do então candidato após o episódio da facada.

 

Dizia que foi demitido “única e exclusivamente por implicância do Carlos e do Eduardo” e não pelas denúncias de irregularidade na distribuição de verbas.

 

Foi chamado de mentiroso por Carlos e decidiu divulgar áudios de conversas suas com Bolsonaro.

 

Classificou Bolsonaro, em uma de suas últimas entrevistas, como alguém que se achava “um enviado divino, de Deus, com filhos maravilhosos que vai salvar o Brasil, e isso dá uma amostra de uma personalidade absolutista”.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS