BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

REGIÃO NORTE – Confira as principais noticias da Amazônia Brasileira

REGIÃO NORTE – Confira as principais noticias da Amazônia Brasileira

Da Redação

28 de Junho de 2012 às 08:48

Foto: Divulgação

AMAPÁ - Professores pedem afastamento de governador na assembléia
O Sindicato dos Professores do Amapá protocolou na manhã desta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, uma representação por crime de responsabilidade contra o governador Camilo Capiberibe (PSB). A ação, acompanhada por um abaixo-assinado com aproximadamente 2 mil assinaturas, foi encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo presidente da Casa em exercício, deputado Júnior Favacho (PMDB). Se for acatada e aprovada pelo plenário, o governador será afastado do cargo por 180 dias até a conclusão das investigações, que pode ou não resultar no impeachment de Capiberibe.
O sindicato deu entrada na representação às 11h. Um dos advogados que assina a petição, Waldeci Alves, defendeu uma apuração rigorosa das denúncias contra Camilo Capiberibe. "O governador cometeu crime de responsabilidade ao violar a lei do piso", sustenta o jurista. "Além de quebrar o pacto federativo, o governador se coloca acima da Constituição Federal, justamente por não reconhecer a lei federal, que é competência da União, que cria um piso nacional mínimo", emendou.
A ação é respaldada pela Constituição Estadual, conforme prevê os artigos 120 e 121. O texto diz que "nesta situação de violação da lei federal, a decisão judicial, no caso do Supremo Tribunal Federal, cabe à abertura de um processo por crime de responsabilidade".
O presidente em exercício recebeu das mãos do advogado a representação com o abaixo-assinado. "Vamos encaminhar à Comissão de Constituição e Justiça para que seja feito todo o tramite que o caso requer. A CCJ irá analisar a representação e encaminhar um parecer ao plenário. Caso seja pela culpabilidade e o parlamentar acatar, o governador será afastado automaticamente do cargo e será aberto o processo de impeachment", explica.
De acordo com o advogado, o Amapá não paga o piso de R$ 1.451. Destaca ainda a proposta do Executivo rejeitada pela própria Assembleia Legislativa. "Ele tentou fraudar a lei do piso dando remuneração e não adotando o valor mínimo estipulado pela União como vencimento base, como determina a lei".
Os professores estão em greve há mais de 60 dias. A categoria cobra a implantação do piso, o governo está oferecendo 15,56%, 8% do reajuste linear dado a todos os servidores e mais 7,56% aos profissionais da Educação. Atualmente, o teto salarial pago pelo Estado é de pouco mais de R$ 1 mil.
Procurada, a assessoria do governador não deu retorno à reportagem.
RORAIMA - I Festival 100% Indie Rock acontece em julho
O Dia Mundial do Rock é comemorado no dia 13 de julho. Em Boa Vista, neste ano de 2012, os fãs do Indie Rock ganharão um presente no dia 14 de julho. Neste dia a capital da terra de macunaima recebe um Festival de Rock inédito na história da Cidade, o I Indie ao Extremo. A ação marca a realização do I Festival 100% Indie Rock Alternativo realizado por essas bandas. O Centro de Cidadania Nós Existimos será o Palco do evento que contará com a participação das bandas Viverde, Garage, The Joy, Odisséia e Free Base.
O Indie Rock roraimense foi representado, até o início de 2010, pelas bandas Somero e Sofia não foi a Escola, dois grupos que não existem mais. No início de 2011 a Viverde tornou-se a nova banda Indie de RR, fazendo sua estréia no Grito Rock Boa Vista-RR 2011. A banda fez várias apresentações no ano passado, agora ganha o reforço de mais quatro grupos que vão fazer a festa dos fãs do estilo.
Segundo os organizadores o Festival vai mostrar tanto músicas autorais, das bandas que tem produção própria, como a Viverde, e também prestigiará os grandes nomes do Indie Rock nacional e internacional, Strokes, Arctic Monkeys, Los Hermanos, Vivendo do Ócio, dentre outros. Os grupos The Joy, Garage, Odisséia e Free Base fecham a escalação do evento que marcará a estréia oficial das quatro bandas citadas.
“Estamos fazendo esse evento por meio da união entre as bandas e também a pedido do público que curte o Rock Indie, o Rock Alternativo. Vamos mostrar novas bandas que estão procurando seu espaço”, afirmou André Gomes, um dos integrantes da banda Garage, e organizador do I Indie ao Extremo.
O Ex-Somero, Vinícius Tocantins, será o apresentador do Festival e também se mostrou empolgado com a realização do Indie ao Extremo. “O Indie Rock tem fãs em toda parte do mundo, isso não é diferente aqui em Boa Vista. No dia 13 de julho se comemora o dia mundial do Rock e no dia 14 o público Indie de Boa Vista vai poder comemorar a realização de seu Festival. Fico feliz em poder fazer parte dessa iniciativa que vai mostrar o talento da nova geração do Indie Rock roraimense’, afirmou Vinícius Tocantins.
O I Indie ao Extremo acontece no dia 14.07, no Centro de Cidadania Nós Existimos, a partir das 20h, ao preço de R$3. O evento é uma realização do Extremo Rock RR Produções e tem apoio do Coletivo Canoa Cultural, Rodolpho Som e Studio, JC Iluminação e está a procura de mais apoiadores. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas por meio dos telefones: 9118-3036, falar com André Gomes, e 9124-2266, falar com João Paulo.
ACRE - Extorsão praticada por ‘flanelinhas’ nas ruas de Rio Branco é alvo de investigação
O Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC), através da Coordenadoria Criminal, se reuniu, na manhã da última sexta-feira (22), com representantes da Policia Civil, Policia Militar e Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTRANS) para discutir soluções referentes à extorsão praticada por ‘flanelinhas’ nas ruas de Rio Branco.
A Polícia Civil identificou que alguns ‘flanelinhas’, por serem usuários de drogas, acabam agindo de forma agressiva quando algum cidadão se recusa a dar gorjeta, ameaçando, inclusive, causar danos aos veículos estacionados em via pública, o que caracteriza extorsão, crime previsto em Lei.
Na ocasião, metas começaram a ser traçadas para a devida identificação dos ‘flanelinhas’, investigando se possuem antecedentes criminais, além de apurar se o sustento deles provém apenas de gorjetas.
“Em Rio Branco já existe uma associação de ‘flanelinhas’, que será alvo de investigação, para averiguar se a entidade está dentro dos parâmetros legais”, afirma o coordenador criminal e procurador de Justiça Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto.

Segundo o subcomandante da Polícia Militar, coronel Paulo Cézar Santos, a problemática é antiga. “Isso vem se agravando pelo fato de usuários de drogas estarem se passando por ‘flanelinhas’ para conseguir dinheiro”.

AMAZONAS - Governo promove em Parintins o maior festival folclórico da região Norte

Nos dias 29 e 30 de junho e dia 1º de julho, acontece a 47ª edição do Festival Folclórico de Parintins, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado Cultura, com parceria da Prefeitura de Parintins e patrocínio da Coca-Cola. O festival, além de ser o espetáculo de maior expressão artística da Amazônia, é o grande impulsor do desenvolvimento socioeconômico do município, localizado a 369 quilômetros de Manaus.
Durante o Festival, os astros da festa, Garantido (representado pelas cores vermelho e branco) e Caprichoso (azul e branco), disputam mais um título, levando à arena do Bumbódromo mais de três mil componentes, sob os efeitos de luzes, cores, alegorias, coreografias, show pirotécnico e uma diversidade de recursos cenográficos, que, junto à magia das toadas sobre o inconsciente popular amazônico, constroem uma obra viva de arte e cultura popular.
Atentos e avaliando os sucessivos movimentos e alegorias apresentadas a cada momento do espetáculo, estarão nove jurados, que atribuem notas aos quesitos: Apresentador; Levantador de Toadas; Batucada (Garantido) ou Marujada (Caprichoso); Ritual Indígena; Porta-Estandarte; Amo do Boi; Sinhazinha da Fazenda; Rainha do Folclore; Cunhã-Poranga; Boi-bumbá Evolução; Toada (letra e música); Pajé; Tribos Indígenas; Tuxauas; Figura Típica Regional; Alegoria; Lenda Amazônica; Vaqueirada; Galera; Coreografia; e Organização do Conjunto Folclórico.
O 47° Festival Folclórico de Parintins tem ainda o apoio do Ministério da Cultura, patrocínio da Petrobras, Skol, Ambev, Banco Bradesco, Eletrobras, Correios, Volvo, Oi e Band, e conta com ações de vários órgãos do Governo do Amazonas, Agência Nacional de Aviação (Anac), Força Aérea Brasileira, Infraero, Polícia Federal, Capitania dos Portos, 9º Distrito Naval, Eletrobras Amazonas Energia, Ministério Público do Estado e Delegacia Regional do Trabalho.
Histórico
Os bois Garantido e Caprichoso existem desde 1913, mas o Festival Folclórico de Parintins iniciou em 1965 e durante muitos anos foi organizado pela própria população de Parintins. A partir de 1988, a festa passou a contar com o apoio do Governo do Estado que, naquele ano, construiu o Bumbódromo, espaço arquitetado sob a forma estilizada de uma cabeça de um boi e com capacidade para 12 mil expectadores. Este ano, o Governo vai ampliar o Bumbódromo, construindo uma nova arena mais moderna e com maior capacidade para receber o público.
A festa amazonense do boi mistura o folclore indígena com a tradição junina do bumba-meu-boi da região Nordeste do Brasil e é um dos principais eventos do calendário cultural do Estado. No espetáculo a céu aberto, os dois bumbás traduzem em suas apresentações a cultura dos povos da floresta nos versos das toadas e nos detalhes dos adereços, das luxuosas fantasias e alegorias grandiosas, tudo produzido por artistas amazonenses reconhecidos nacionalmente.
O festival tem importância fundamental para a manutenção e o crescimento da tradição do boi-bumbá e é um marco na disseminação dessa cultura em níveis nacional e internacional. Além de ser um grande estímulo à economia do Amazonas.
A grandiosidade e a beleza do festival folclórico atraem turistas de todas as partes do Brasil e do mundo. Em 2011, o número de turistas na ilha para o evento foi recorde. Foram mais de 82 mil visitantes de diversas partes do Brasil e do mundo, segundo estimativas da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur).
Tradição
A festa do boi-bumbá, também conhecida como festa do boi ou brincadeira do boi, tem sua origem no Nordeste do Brasil, derivada de outra dança típica, o bumba-meu-boi. O boi-bumbá chegou ao Amazonas com a imigração de nordestinos, que trouxeram suas tradições populares, sendo esta uma espécie de ópera popular, cujo enredo desenvolve-se em torno da lenda do fazendeiro que tinha um boi de raça, muito bonito e querido.
As apresentações dos bois em Parintins desenvolvem-se contando a história do Negro Francisco, funcionário da fazenda, cuja mulher, Catirina, fica grávida e sente desejo de comer língua de boi. Desesperado por medo de a esposa perder o filho, ele resolve roubar e matar o boi de seu patrão para retirar-lhe a língua e satisfazer o desejo de Catirina. É quando o Amo do Boi descobre e manda os índios caçarem Negro Francisco, que busca um pajé para fazer ressuscitar o boi. A magia se concretiza e o boi renasce, fazendo com que tudo vire uma grande festa. O imaginário indígena e detalhes religiosos dos índios, como pajés e feiticeiros, foram incorporados com mais influência ao boi-bumbá.
Parintins e seu povo
Parintins é uma ilha chamada de “Encantada” pelo clima de magia vivido por seu povo alegre e hospitaleiro, não só nos dias do festival, mas durante o ano inteiro. São mais de 102 mil habitantes. A ilha encantada inspira o artista caboclo a tecer fios, compor grandes toadas, confeccionar joias e alegorias gigantes para contar lendas e dar vida ao folclore amazônico. O talento do artista parintinense também é utilizado nas alegorias das escolas de samba, tanto do Amazonas quanto do Rio de Janeiro e São Paulo, comprovando a qualidade do trabalho que impressiona o mundo durante o Festival Folclórico.
Temas dos bois na 47ª edição
O boi Caprichoso leva para o Festival Folclórico de Parintins o tema “Viva a cultura popular!”. O boi azul vai mesclar em seu enredo as novas manifestações da cultura popular amazônica aos movimentos tradicionais. O foco será os cem anos da cultura parintinense com destaque para as pastorinhas e a capoeira, movimentos tradicionais na cidade. A viagem pela cultura regional, representada no bumbódromo, contará com a participação de mais de duas mil pessoas, entre artistas e brincantes.
O boi vermelho da baixa do São José virá com o tema “Garantido, Tradição”. Mitos, lendas e o folclore dos povos amazônicos e a tradição da arte que vem da população parintinense estarão no centro do enredo deste ano. A força da herança cultural enraizada pelo mestre Lindolfo Monte Verde, ícone das tradições folclóricas do Garantido, será o símbolo maior da apresentação. A ideia central é fruto de uma extensa pesquisa antropológica e vai mostrar a tradição firmada pelo povo e suas constantes mutações. O enredo ampara o tema que será abordado pelo Garantido de 2013, focado na comemoração do centenário do bumbá.
Resultados dos festivais
A competição entre Caprichoso e Garantido no Festival Folclórico de Parintins é sempre bastante acirrada. Os bumbás disputam a vitória ponto a ponto em cada um dos 21 itens apresentados ao público e aos jurados. Muitas vezes, o vencedor se consagra por uma diferença de décimos de pontuação.
O Garantido, que venceu o festival em 2011, detém o maior número de títulos. Ganhou 28 das 46 edições do Festival. O boi vermelho também possui o recorde de vitórias consecutivas, conquistando cinco campeonatos seguidos, de 1980 a 1984. O Caprichoso venceu 19 vezes. Na década de 1990, o bumbá atingiu o seu maior número de vitórias consecutivas. Foi campeão por três anos ininterruptos de 1994 até 1996. No ano 2000, pela primeira vez, os dois bois atingiram a mesma pontuação e dividiram a premiação.
Veja o resultado dos Festivais, ano a ano, de 1966 até 2011.
Década de 1960
1966 - Garantido
1967 - Garantido
1968 - Garantido
1969 – Caprichoso
Década de 1970
1970 - Garantido
1971 - Garantido
1972 - Caprichoso
1973 - Garantido
1974 - Caprichoso
1975 - Garantido
1976 - Caprichoso
1977 - Caprichoso
1978 - Garantido
1979 – Caprichoso
Década de 1980
1980 - Garantido
1981 - Garantido
1982 - Garantido
1983 - Garantido
1984 - Garantido
1985 - Caprichoso
1986 - Garantido
1987 – Caprichoso
1988 - Garantido
1989 - Garantido
Década de 1990
1990 - Caprichoso
1991 - Garantido
1992 - Caprichoso
1993 – Garantido
1994 - Caprichoso
1995 - Caprichoso
1996 - Caprichoso
1997 - Garantido
1998 - Caprichoso
1999 - Garantido
Década de 2000
2000 - Caprichoso e Garantido (empate técnico)
2001 - Garantido
2002 - Garantido
2003 - Caprichoso
2004 - Garantido
2005 - Garantido
2006 - Garantido
2007 – Caprichoso
2008 - Caprichoso
2009 - Garantido
Década de 2010
2010 – Caprichoso
2011 – Garantido
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS