BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

MANEJO E PRODUTIVIDADE: Ceplac ensina técnicas de enxertia de cacaueiros a reeducandos e produtores

No ano passado, a Ceplac distribuiu mais de um milhão de sementes para a produção de mudas

SECOM - GOVERNO DE RONDÔNIA

27 de Janeiro de 2020 às 15:37

Foto: Divulgação

O compromisso de cooperação entre apenados e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) dá mais um passo a partir desta terça-feira (28), com o treinamento em enxertia de cacaueiros com clones de alta produtividade na Fazenda Futuro.

 

No ano passado, a Ceplac distribuiu mais de um milhão de sementes para a produção de mudas; alguns produtores distribuíram volume semelhante.

 

O treinamento é fruto do acordo de cooperação entre a as Secretarias de Estado da Agricultura (Seagri) e Justiça (Sejus), e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Cabe à Emate promover a difusão tecnológica nos 52 municípios de Rondônia.

 

 

 

A ampliação do viveiro da Sejus na Fazenda Futuro receberá R$ 200 mil

 

 

 

Estima-se que até às 17h do próximo dia 29, quarta-feira, a unidade demonstrativa da Fazenda Futuro tenha prontos três mil porta-enxertos. A unidade concluiu pouco mais de 20 mil mudas até agora. Elas serão entregues à Sejus e à Secretaria Municipal de Agricultura (Semagric) de Porto Velho.

 

Nesse treinamento, reeducandos e produtores do município de Porto Velho e entorno aprenderão três aspectos essenciais ao êxito do trabalho nessa unidade: condução, formação e manutenção de lavouras.

 

São esperados 30 a 40 participantes. A demanda é muito latente, explica o coordenador da Ceplac no estado, João Batista Nogueira: “Muitos extensionistas estão se aposentando, e uma grande lacuna se abre, por isso, o momento exige apoio para o direcionamento e orientação de produtores rurais e reeducando; estes poderão contribuir muito para o êxito do empreendimento rural”, assinala.

 

Oito técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) também participarão da assistência técnica à mão de obra apenada.

 

O objetivo maior do treinamento é dar sustentabilidade à cacauicultura rondoniense. Atualmente, a produtividade média no estado é de 710 quilos por hectare”, informa o coordenador de pesquisa, assistência técnica e extensão rural da Ceplac em Rondônia, Amarildo Pinheiro Virgulino.

 

Mudas de cacau de qualidade são atualmente vendidos por particulares até a R$ 7 cada uma.

 

Em outubro de 2019, totalizava 8.100 toneladas a produção cacaueira rondoniense, conforme dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As áreas produtoras se concentram nas regiões de Ariquemes, Cacoal, Jaru e Colorado do Oeste.

 

 

 

Amarildo Virgulino e João Batista Nogueira: Ceplac fortalece programa da Sejus

 

 

 

Já existe a diversificação da produção cacaueira, juntamente com lavouras de café”, informa Amarildo Virgulino.

 

A Emater está incentivando produtores a substituir 12 mil hectares de cacaueiros plantados no estado por plantas originárias de clones altamente produtivos, trazidos da Bahia.

 

Conforme ele explica, o cacau exige ambiente com equilíbrio biológico, pois fora dele, as plantas estão sujeitas ao ataque de pragas, entre as quais a Moniliophtora perniciosa, fungo pertencente à ordem Agaricales, conhecido anteriormente por Crinipellis perniciosa [vassoura de bruxa].

 

Essa doença que afeta os tecidos jovens dos cacaueiros, levando à sua perda de produtividade e originando prejuízos econômicos.

 

Atualmente, os principais compradores do cacau rondoniense são a Barry Callebaut [uma das maiores processadoras de cacau do mundo] em Ilhéus (BA), a Cargill do Pará e a Indeca, de São Paulo. Cerealistas regionais também compram parte da safra.

 

A ampliação do viveiro da Sejus na Fazenda Futuro receberá R$ 200 mil provenientes de emenda parlamentar do senador Acyr Gurgacz, de Rondônia, com o compromisso de atender à rotatividade de lavouras em pequenas propriedades.

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

Terça-feira, 28:
8h – Recepção aos participantes e convidados
8h30 – Ações teóricas e práticas sobe enxertia de cacaueiros, com explicações dos extensionistas Francisco Tarcísio Lisboa e Valdir Antônio Venturine
10h10 – Intervalo
10h25 – Continuação do treinamento
12h – Almoço
Das 14h às 17h–  Mesma programação e encerramento

 

Quarta-feira, 29:
Mesma programação e mesmos horários

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

NOVA DATA: Após adiamento, confira como fica o cronograma do Enem

Ministro da Educação anuncia, por meio de rede social, adiamento do prazo para se habilitar à prova. Pagamentos podem ser feitos até um dia depois da data final para garantir a participação. Até o meio-dia de ontem, mais de 5 milhões de pessoas tinham feito o cadastro

23 de Maio de 2020 às 10:36