close
logorovivo2

ESPAÇO ABERTO: Símbolo do estado está de volta para resgatar a história de Rondônia

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

6 de Maio de 2019 às 08:15

ESPAÇO ABERTO: Símbolo do estado está de volta para resgatar a história de Rondônia

FOTO: (Rondoniaovivo)

CARTEL DOS COMBUSTÍVEIS


A  Agência Nacional do Petróleo (ANP), “fez um estudo” que indica uma obviedade com a qual é conivente há anos: a redução dos preços nas refinarias não chega ao consumidor porque “não há concorrência” entre as distribuidoras de combustíveis que atuam no mercado como atravessadoras. O setor é o  mais protegido pelas resoluções da ANP, que criou para as empresas um cartel bilionário.

 

Uma resolução de 2009 da ANP, por exemplo, obriga refinarias e destilarias a vender aos atravessadores os combustíveis que produzem. E são eles que ditam os preços. Números oficiais indicam que distribuidoras/atravessadores ficam com 16% do valor do litro na bomba. Sem produzir nada, nem agregar valor.

 

 

 

 

MORDAÇA


Uma empregada doméstica foi processada, no mês passado, por um médico de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Campo Grande-MS, por ter postado uma foto no Facebook reclamando da demora para atendimento de uma sobrinha. Uma juíza da capital Sulmatogrossense aceitou os argumentos do médico e condenou a doméstica a pagar uma multa por danos morais no valor de 10 mil reais. A doméstica afirma que ganha mil reais por mês. Se o TJRO começar a receber processos de pacientes que reclamam do atendimento de saúde, em Porto Velho, e condenar os reclamantes teremos duas situações complicadas: uma enxurrada de ações para serem analisadas e haja dinheiro para tanta indenização.

 

 

PAU QUE BATE NO CHICO


O curioso é que o atendimento público de saúde no Brasil é comprovadamente péssimo e, alguém me corrija se eu estiver errado, nunca vi um cidadão ser indenizado por ser mal atendido. Aliás, tem casos onde nem há médicos para atender e muito menos estrutura adequada para receber pacientes. Bom, deixa pra lá.

 

 

POR FALAR EM SAÚDE


Público, aqui na íntegra uma postagem de uma enfermeira no Facebook. Em tom de desabafo e indignação, ela lamenta não poder oferecer nada mais além do que dedicação e solidariedade a muitos pacientes que nem acomodações adequadas encontram quando precisam da saúde pública. Qual Justiça poderia levantar a voz para tentar resolver isso?

 
Eu Valdinéia funcionária pública há mais de 15 anos do maior hospital de Rondônia a cada dia me revolto e me entristeço a cada dia que vivencio essa situação, onde tenho que improvisar uma caminha no chão pq o meu paciente não tem uma cama pra deitar, o que fazer ? O que dizer pro meu paciente que estar sentindo dor? Hj eu disse: pro meu paciente : não tem cama senhor, mas se eu fizer uma caminha no chão o senhor deita? Vou arranjar uns lençoes pode ser? Ele ele segurou na minha mão e disse: eu lhe agradeço enfermeira, Deus lhe pague. Não contive as minhas lágrimas, ao meus tempo veio a raiva , a revolta de saber que tem culpados por meu paciente dormir no chão. E foi o jeito eu improvisar a cama dele no chão. É claro que os pacientes são atendidos, mas ficam a mercê dessa situação. Damos assistência médica, assistência de enfermagem, mas não estamos conseguindo dar condições básicas, um leito. Esses pacientes merecem condições dignas. Muitos chegam aqui , são identificados, internados, passam por cirurgias, voltam pro corredor, pra garagem e, dali mesmo recebem altas. É uma situação vexatória pra nós servidores.

 

 

ELA ESTÁ DE VOLTA


Após 20 anos sem funcionar a Litorina voltou para a Estrada de Ferro Madeira Mamoré neste domingo(5/5). Um trecho, de pouco mais de 2km dos trilhos, foi recuperado para passeio turístico. A escolha da data, 5 de maio, foi proposital pois marca o nascimento do Marechal Rondon, no ano de 1.865, em Santo Antônio de Leverger, no Mato Grosso. Rondon foi um desbravador e  patrono do estado de Rondônia.

 

 

 

 

SEGURANÇA RURAL


Uma ação inovadora da Polícia Militar de Rondônia foi colocada em prática na região de Ariquemes. É o Programa de Segurança Rural que prevê o uso de Drone e GPS para proteger os produtores rurais. Uma equipe da PM coleta dados pessoais dos proprietários rurais e realiza o mapeamento do maquinário, implementos agrícolas e a  marca do gado pertencente a cada propriedade. Os dados são lançados em um sistema e cada propriedade passa a ter um número e uma placa de identificação. Em caso de emergência o produtor aciona a PM passando as coordenadas geográficas e o número de identificação que já estão salvos no sistema da patrulha. Isso faz com os policiais consigam chegar rapidamente ao local da ocorrência. O Projeto é inovador nas zonas rurais e foi muito bem recebido pelos proprietários rurais. 

 


DIAMANTES


Boato de diamantes no distrito de Rio pardo, entre Machadinho do Oeste e Ariquemes, já começa a provocar uma correria de gente para o local. Segundo garimpeiros, há duas semanas teriam sido encontrados diamantes na região mas somente neste fim de semana que a notícia se espalhou. O assunto está sendo comentado por garimpeiros em redes sociais mas não há uma confirmação oficial sobre uma nova jazida que teria sido descoberta.

 

 

 

 

Mande suas sugestões de pauta, fotos, denúncias ou reclamações para espacoaberto@rondoniaovivo.com.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS