close

ESPAÇO ABERTO: Falta de conhecimento é barreira enfrentada por família com autista

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

21 de Março de 2019 às 08:26

ESPAÇO ABERTO: Falta de conhecimento é barreira enfrentada por família com autista

FOTO: (Divulgação)

CONFERÊNCIA SOBRE IDOSOS


O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMI) e a Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf), realizarão, nos dias 28 e 29 de março, no Teatro Banzeiros, à Rua José do Patrocínio, 512, bairro Centro, a partir das 7h30, a 5ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, com o tema: ‘Os desafios de Envelhecer no século XXI e o Papel das Políticas Públicas’.


No dia 28, a programação inicia às 7h30 com credenciamento e café da manhã, seguido de apresentação cultural. Após a abertura oficial do evento haverá palestra sobre ‘Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o Papel das Políticas Públicas’. 

 


ESTÁ NA JUSTIÇA


O Ministério Público Federal (MPF) quer a  inelegibilidade do ex-promotor Hildon Chaves (PSDB), atual prefeito de Porto Velho. Hildon é alvo de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE, impetrada pelo Ministério Público Federal – MPF, através do Procurador Regional Eleitoral Luiz Gustavo Mantovani. 

 

 


A denúncia aponta para um possível abuso de poder político e econômico praticado pela alta cúpula do Poder Executivo de Porto Velho na campanha do ano passado em benefício do então candidato Expedito Júnior. Uma grande quantidade de provas já está  na  Procuradoria Eleitoral  que aponta incongruências na prestação de contas de Expedito Júnior em sua candidatura ao governo de Rondônia no ano passado e pede a cassação dos direitos políticos de Júnior e seu vice, Mauricio Carvalho.


De posse de tantos indícios, o MPF solicitou através de Ação Cautelar n. 0601657-77.2018.6.22.0000 a apreensão de diversos equipamentos eletrônicos e documentos dos então servidores Guilherme Erse e Welen Prestes. No dia da eleição, as seis da manhã, policiais federais estiveram nas residências dos suspeitos para coleta de provas.


Diante de todo o material coletado até agora a Procuradoria Regional Eleitoral em Rondônia solicitou à Justiça a cassação de registro e diploma eleitoral de Expedito Junior e Mauricio Carvalho, além da inelegibilidade de Hildon Chaves.

 

 

 

 


EX-SERVIDORA COMISSIONADA DO DETRAN DEVERÁ SER REINTEGRADA, DECIDE TJRO 

 

O Egrégio Tribunal de Justiça de Rondônia determinou o cumprimento com urgência de decisão liminar para Quesia Diniz ser reintegrada na função de coordenadora de comunicação social do Detran com efeitos retroativos a 01 de janeiro de 2019.

 

A decisão tem caráter não suspensivo até o trânsito em julgado e deverá ser cumprida do recebimento do Mandato Judicial pela Procuradoria Geral do Estado para o Detran.

 

À ex-servidora comissionada (sem vínculo) é garantida a estabilidade até o quinto mês após a sua gestação, conforme decisão pacificada do E. STJ acórdão.

 

 

JORNALISTA FAZ ALERTA SOBRE AUTISMO


Caros colegas, o Dia Mundial de Conscientização do Autismo se aproxima. Como mãe de dois meninos dentro do TEA, sinto que a parte mais difícil é a falta de conscientização e conhecimento da população em geral. É alta a incidência do TEA em todo o mundo, e a falta de informação e de entendimento têm causado um impacto com graves consequências  na vida desses indivíduos e seus familiares. Como jornalista tenho a convicção sobre o papel fundamental da imprensa neste processo de quebras de paradigmas através da informação de qualidade. Por isso, peço a vocês a atenção necessária que este assunto merece. 


 No dia 02 de abril, data instituída pela ONU, milhares de pessoas em todo mundo levantam a bandeira azul com o intuito de alertar governantes e sociedade, e desmistificar sobre a condição.  De acordo com a ONU existem 70 milhões de pessoas no mundo dentro do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), no Brasil não há estatísticas oficiais, estima-se que sejam mais de 2 milhões. Relatório divulgado em 2018 pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos apontam para 1 caso a cada 59 crianças.


A conscientização do autismo deveria acontecer todos os dias, é algo importante e necessário, tanto para sociedade que precisa aprender a aceitar e respeitar  o que lhe foge a regra, quanto para classe política e gestores públicos que precisam criar políticas voltadas à essa população. 


Importante ressaltar que, como falamos em um espectro a intensidade dos sintomas varia de pessoa para pessoa. Não existem duas pessoas iguais dentro do TEA.  Uma pessoa no extremo do espectro pode ter seu comportamento bastante comprometido enquanto no outro extremo temos as mentes brilhantes. Ao longo desses extremos, temos milhares de crianças com total capacidade de aprender e tornar-se indivíduos independentes, com vidas bem próximas ao considerado normal. No entanto, a falta de profissionais capacitados em todas as áreas condena a maioria dessas crianças a uma vida  de segregação e dependência. 


Em Vilhena por exemplo, não temos um neuropediatra, ou psiquiatra infantil para o diagnóstico e acompanhamento dessas crianças. Não temos profissionais da psicologia, pedagogia, fonoaudiologia, entre outros, qualificados em Analise do Comportamento Aplicada -ABA (Applied Behavior Analisys), campo da Analise do Comportamento,   indicada pela Organização Mundial da Saúde como única linha de  tratamento baseada em evidencias científicas.  Não temos escolas que façam uma verdadeira inclusão. Lembrando que incluir não é aceitar. Incluir é tornar o aluno parte daquela classe, através de atividades adaptadas às suas necessidades. É tornar possível o aprendizado através de um Plano de Ensino Individual (PEI), amparado na Legislação Federal (Lei de Diretrizes e Bases da Educação - Lei 9394/96).


Incluir não é fazer salinha separada só com alunos especiais. Inclusão é um todo, é um trabalho feito pela família, escola e comunidade. Não se pode entrar onde as portas estão fechadas pela falta de conhecimento. É necessário comprometimento. 
Só na rede municipal de ensino,  existem 60 crianças com diagnóstico fechado, destas, nem metade recebe algum tipo de tratamento. O município, através do CER, não consegue atender essa demanda. E então essas crianças perdem um tempo precioso de suas vidas em filas de espera, para receber terapias muito aquém do necessário para seu desenvolvimento.  

 


Quem assina é Karina Andrade
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS