close

BRASÍLIA: Sindicato dos Soldados da Borracha se reúne com a Ministra Damares Alves

Entre as reivindicações apresentadas está o Projeto de Lei nº 646/2011, de autoria do deputado Mauro Nazif PSB/RO, que assegura o pagamento de abono anual aos seringueiros

ASSESSORIA

18 de Março de 2019 às 15:09

BRASÍLIA: Sindicato dos Soldados da Borracha se reúne com a Ministra Damares Alves

FOTO: (Assessoria)

Após setenta e quatro dias de governo, um dos principais ministério da equipe de Jair Bolsonaro, realiza encontro com o sindicato dos soldados da borracha e gabinetes de deputados federais de Rondônia.

 

Na última sexta-feira (15), a Ministra dos Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos, Damares Alvez, juntamente com a equipe técnica do órgão, se reuniu com assessores de deputados de Rondônia, bem como, a vinda do representante da categoria dos soldados da borracha, o vice-presidente do SINDISBOS – George Telles.

 

Estavam presentes às equipes dos deputados federais rondonienses: Mauro Nazif, Léo Moraes e Silvia Cristina. Pedindo justiça em nome de todos os soldados da borracha no Brasil, o vice- presidente George Telles levou em mãos as principais reivindicações da classe.

 

Mostrando-se muito sensível com a história dos soldados da borracha, a Ministra Damares Alvez, então conhecedora da grande luta do segmento, se comprometeu em não medir esforços no sentido de se empenhar para que as pautas de reivindicações venham ser atendidas ainda este ano pelo governo de Jair Bolsonaro.

 

Entre as reivindicações apresentadas está o Projeto de Lei nº 646/2011, de autoria do deputado Mauro Nazif PSB/RO, que assegura o pagamento de abono anual aos seringueiros recrutados e que tenham trabalhado durante a Segunda Guerra Mundial nos Seringais da Região Amazônica, no caso, o 13º (décimo terceiro) salário.

 

O outro apresentado foi projeto de Lei Nº 1997, de 2011, de autoria do também deputado rondoniense Mauro Nazif. Este último projeto prevê o atendimento pelos serviços de saúde das Forças Armadas aos seringueiros que, entre 1943 e 1945, foram alistados pelo Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia - SEMTA com objetivo de extrair borracha na Amazônia, como parte do esforço de guerra brasileiro, durante a Segunda Guerra Mundial.

 

 

 

 

Outra reivindicação levantada foi a aquisição da casa própria a muitos soldados da borracha que até hoje não possuem moradias. No final do encontro que durou quase uma hora, a Ministra Damares afirmou que vai trabalhar em ações de parcerias com os autores dos Projetos que tramitam no Congresso Nacional.

 

Segundo o vice-presidente George Telles, duas opções foram levantadas pela ministra. Uma é a resolução das pautas por Medida Provisória, a outra, é a deliberação do assunto por meio de processos administrativos, pois se chegou ao entendimento que não é mais possível a categoria esperar, uma vez que, a maioria se encontra em idade bem avançada.

 

A ministra finalizou, dizendo que o governo vai trabalhar em conjunto com outras pastas para que os soldados da borracha possam receber ainda esse ano o 13º (décimo terceiro) salário, sendo citado por ela o Ministério da Cidadania.

 

Realizando entrevista com equipe de jornalista da Amazon Sat/Rede Globo em Brasília, o vice-presidente do sindicato dos soldados da borracha, afirmou que a luta em defesa dos trabalhadores recrutados para extrair borracha no período da Segunda Guerra Mundial, terá agora maior avanço com o atual governo.

 

O Sindicato dos Soldados da Borracha vem lutando em defesa da categoria em todo território nacional, inclusive nos estados do Acre, Pará, Amazonas e Rondônia, onde se concentram a maioria do que ainda resta do antigo exército da borracha, que um dia chegou a somar 55 mil recrutados.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS