close

DEFESA: Léo Moraes protocola criação de Frente Parlamentar contra abusos no sistema elétrico

O parlamentar afirma que a criação do grupo faz parte da estratégia de enfrentamento aos recentes aumentos na tarifa de energia no estado de Rondônia

ASSESSORIA

27 de Fevereiro de 2019 às 16:33

DEFESA: Léo Moraes protocola criação de Frente Parlamentar contra abusos no sistema elétrico

FOTO: (Assessoria)

O deputado federal Léo Moraes (PODE/RO) protocolou, na manhã desta quarta-feira (27) o pedido para criação da Frente Parlamentar de Defesa dos Estados Sedes de Usinas Hidrelétricas na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, em Brasília. Ao todo, foram colhidas assinaturas de 220 deputados e um senador. Eram necessárias 198 assinaturas para a criação.

 

O parlamentar afirma que a criação do grupo faz parte da estratégia de enfrentamento aos recentes aumentos na tarifa de energia no estado de Rondônia, mas que outros estados também estarão representados. “Temos essa situação em Rondônia, mas também sabemos de casos em Roraima e Pará, por exemplo, onde a população desses estados também sofrem com uma alta no boleto da energia elétrica. São famílias que estão deixando de comprar comida, muitas vezes, para pagar a conta de luz. Essa situação não pode continuar, e vamos agir com políticas públicas, além de pressionar as companhias elétricas para praticarem um preço justo junto à população”.

 

De acordo com o deputado, outras medidas já foram tomadas por outros grupos parlamentares, mas que agora essas ações serão tomadas em unidade. “A bancada de Rondônia já se reuniu com o ministro de Minas e Energia, já foi à Aneel e até mesmo ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, para lutar pelo estado contra o aumento. Vamos fazer união com parlamentares de outros estados, a fim de garantir que os recursos provenientes da produção energética permaneçam nos estados, garantindo desenvolvimento e investimentos. Hoje, não é isso que vemos acontecer”.

 

Em 2018, as Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) passaram pelo processo de privatização, sendo arrematada pela Energisa. À época, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão regulador do setor no país, garantiu que as contas de energia da população rondoniense sofreriam uma queda de 1%. Porém, até o momento, a tarifa aumentou cerca de 25% desde a privatização.

 

Essa luta não se iniciou agora, há algum tempo que fazemos um enfrentamento direto aos responsáveis para que a conta de energia não sofra um aumento tão absurdo. Mas com certeza, com a criação da frente parlamentar, essa luta será mais forte, em defesa da população”, finalizou o deputado.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS