close
logorovivo2

AMARELOU: Prefeitura de PVH avisa órgãos de controle que não vai repassar saúde às OS'S

A notificação emitida pelos Ministérios Públicos se fundamentou, entre outros pontos, na prevenção a possíveis prejuízos à política do Sistema Único de Saúde (SUS).

EXPRESSÃO RONDÔNIA

16 de Agosto de 2018 às 17:48

AMARELOU: Prefeitura de PVH avisa órgãos de controle que não vai repassar saúde às OS'S

Cercado pelos órgãos controladores o prefeito recuou a ideia que poderia levar a saúde direto para a UTI FOTO: (Divulgação)

 

 

A Prefeitura de Porto Velho cancelou todo e qualquer procedimento que encaminhava a saúde do município a ser administrada pelas chamadas organizações sociais de saúde (OSS). A secretaria-geral de Governo da Prefeitura encaminhou ofício aos órgãos de controle informando a decisão, amparada por documentos da Secretaria Municipal de Saúde e cópia do Diário Oficial do Município em que foi publicada cópia da a portaria que criou a Comissão de Planejamento e Operacionalização da Implantação das Organizações Sociais de Saúde na Capital.

 

Nesta quinta-feira, o site do Tribunal de Contas publica matéria em conjunto com outros órgãos de controle informando a decisão da Prefeitura.

 

Após notificação recomendatória expedida pelo Ministério Público de Contas de Rondônia (MPC-RO) em conjunto com o Ministério Público Estadual (MP-RO), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho/Procuradoria da República do Trabalho – 14ª Região (MPT/PRT14), o município de Porto Velho comunicou, na última quinta-feira (9), a suspensão do procedimento visando à transferência de parte da gestão dos serviços de saúde pública para organizações sociais (OSs).

 

A notificação emitida pelos Ministérios Públicos se fundamentou, entre outros pontos, na prevenção a possíveis prejuízos à política do Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que, segundo o documento, “cabe ao poder público demonstrar o nexo de causalidade e não a mera conveniência da transferência do serviço público de saúde para a iniciativa privada, garantindo a economicidade e eficiência, com transparência dos serviços e prevenção de fraudes na gestão”.

 

Em face disso, foi estabelecida, conjuntamente, pelos órgãos ministeriais uma gama de diretrizes ao município de Porto Velho, relativamente à possibilidade de execução do serviço público de saúde pelo terceiro setor (OSs), abarcando questões jurídico-legais, administrativas, orçamentárias, financeiras, fiscais, econômicas, trabalhistas, previdenciárias, entre outros.

 

SUSPENSÃO

Em resposta à Notificação Recomendatória MPC/MP/MPF/MPT/PRT14, a Secretaria-geral de Governo do Município de Porto Velho, municiada pela Secretaria Municipal de Saúde, encaminhou cópia de documentos, entre os quais, ato publicado no Diário Oficial dos Municípios do Estado (edição 2251) que torna sem efeito a portaria que criou a Comissão de Planejamento e Operacionalização da Implantação das Organizações Sociais de Saúde na Capital.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS