close
logorovivo2

Nove dos vinte e um vereadores de Porto Velho vão disputar as eleições de 2018

Parte 1 - Por Valdemir Caldas

DA REDAÇÃO

14 de Novembro de 2017 às 15:14

Nove dos vinte e um vereadores de Porto Velho vão disputar as eleições de 2018

FOTO: (Divulgação)

O que há em comum entre Zequinha Araújo, Marcelo Reis, Marcelo Cruz, Maurício Carvalho, Antonio Carlos da Silva, Ellis Regina, Aleks Palitot, Ada Dantas e Jair Montes? Além do fato de serem vereadores pelo município de Porto Velho, todos vão disputar as eleições de 2018. A exceção de Ada, que tentará uma vaga para a Câmara Federal, e Aleks Palitot, que planeja o Senado da República, os demais concorrerão à Assembleia Legislativa.

Em discurso da disse da tribuna, terça-feira 7, Jair Montes reconheceu que não será tarefa fácil encarar um eleitor enfurecido com a classe política, motivado por uma torrente de denúncias de corrupção que varreu os quatro cantos do país. Mesmo assim, garante que, como vereador em seu segundo mandato, tem o que mostrar à população em termos de produção legislativa e, destarte, convencê-la a dar-lhe um voto de confiança.

Não é de hoje que o vereador Marcelo Reis sonha com a ALE/RO. Três anos atrás, ele carimbou o passaporte. Chegou a embarcar, mas foi abatido em pleno voo por uma decisão judicial que o afastou da disputa. Ao contrário de se deixar vencer pelo desânimo, Marcelo revigorou suas forças e deu a volta por cima, saindo do episódio mais experimentado, para desespero de uns poucos que ainda hoje torcem para vê-lo no ostracismo. Em vez de desesperar-se, Marcelo pulverizou suas ações e ampliou seu universo eleitoral, credenciando-se, assim, a lutar em pé de igualdade com as chamadas “feras”.

Zequinha Araújo é um veterano na política. Já foi vereador por cinco mandatos. Em 2011, elegeu-se deputado estadual com vinte mil e novecentos votos. Na ocasião, chegou a ser sondado para disputar a prefeitura da capital pelo PMDB, partido ao qual é filiado. Tentou a reeleição em 2014, mas acabou sendo atropelado pela Operação Termópilas. Foram menos de sete mil votos, uma diferença e tanto. Regressou à Câmara Municipal em 2016. Com a associação que leva seu nome trabalhando a pleno vapor, Zequinha está confiante no seu retorno à Assembleia Legislativa, a partir de janeiro 2019.

Antonio Carlos da Silva (mais conhecido como Da Silva do SINTTRAR) chegou à Câmara Municipal carregando na bagagem a experiência de nove anos como presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Rondônia, uma instituição que abriga novecentos filiados e prestar atendimento médico (aos segurados e seus dependentes) nas áreas de pediatria, ginecologia, clínica geral, fisioterapia, dentre outros serviços. Tudo gratuitamente, sem cobrar um centavo de ninguém.  Sua candidatura ameaçará de perto a reeleição do deputado estadual José Hermínio Coelho, o qual, desde já, precisa colocar as barbas de molho, pois tudo indica que vem chumbo grosso pela frente. Acrescente-se que DA Silva ajudou a criar o SINTETUPERON, o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo.

Aleks Palitot está preparado para disputar uma cadeira para o Senado, embora haja quem diga que ele concluirá o mandato. Historiador e professor experiente, Palitot reconhece que tem defeitos, e muitos. Entre eles, porém, não se inclui a covardia. Sua atuação parlamentar, calcada na sinceridade e na coerência política, tem sido, até agora, simplesmente irretorquível. Se se candidatar dará um excelente senador. Pena que o pastor Aluízio Vidal não queira entrar no páreo...

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS