close

Finalmente, uma grande obra sendo entregue! - Por Sergio Pires

A ponte está pronta, ao contrário do Teatro, que está para completar 20 anos sem funcionar, mesmo que parte dele, uma parte pequena, tenha sido inaugurada recentemente.

DA REDAÇÃO

13 de Setembro de 2014 às 08:31

Finalmente, uma grande obra sendo entregue! - Por Sergio Pires

FOTO: (Divulgação)

Agora é oficial! Nesta segunda-feira, nove horas da manhã, a comunidade de Porto Velho vai assistir a um evento que, durante longos anos, muitos tinham perdido a esperança de ainda ver: a inauguração da ponte sobre o rio Madeira. Ela liga o bairro da Balsa, no lado da cidade que já existe, ao lado de lá, onde, a partir de agora e graças à ponte, em alguns anos pode aparecer mais uma Porto Velho, do tamanho e população de, ao menos, o que se registra hoje na zona urbana da cidade. São pouco mais de 1.100 metros, mas pareceram, durante longo tempo, quilômetros e quilômetros, tal a demora desde o primeiro projeto até agora, quase duas décadas depois, quando a obra se tornou realidade. A ponte está pronta, ao contrário do Teatro, que está para completar 20 anos sem funcionar, mesmo que parte dele, uma parte pequena, tenha sido inaugurada recentemente. Ela será entregue à comunidade, incrivelmente quase dentro do prazo previsto e do custo, sem sobrepreço, sem suspeita de superfaturamento, muito antes dos arremedos de viadutos, que estão ali na BR 364, como uma exposição permanente à incompetência e ao péssimo gerenciamento da coisa pública.

Quando for aberta na segunda pela manhã, pelo ministro dos Transportes e diretores do Dnit  e outras autoridades (menos o governador Confúcio Moura e todos os que são candidatos, que não poderão aparecer, por causa da legislação eleitoral), a ponte sobre o Madeira será uma das únicas grandes obras que a Capital receberá desde a última década. O CPA talvez possa ser colocado no rol das realizações importantes, mas afora isso, nada mais. Porto Velho está num estado de abandono. Os ridículos viadutos são a maior e mais concreta prova disso. Mas, quem sabe a ponte nova não nos apontará saídas para um futuro melhor?

EM EBULIÇÃO

Presos do Urso Branco, Urso Panda e Ênio Pinheiro, estão em greve de fome. Fazem várias reivindicações, a maioria justas. Querem os programas de ressocialização, respeito ao período de visitas íntimas, comida de melhor qualidade, porque alegam que receberam alimentação azeda. Denunciam ainda castigos físicos aos presos, o que seria um absurdo, caso confirmado. E querem, é claro, o direito de redução de pena para quem trabalha e estuda. Os presídios estão em ebulição...

HOLOFOTES

Coluna recebeu mensagem do conhecido advogado Pedro Origa Neto, que é transcrita na íntegra: " Prezado Sergio Pires. Espetacular a observação sobre a paralisação da obra do Espaço Alternativo que muitos aguardam, já que há muitos frequentadores. Destaco: E assim vai. Quando não é uma decisão do TCE, é da Justiça ou é falta de recursos, ou a tia do cunhado do sobrinho do neto de alguma autoridade decidiu que aquela obra podia parar por não ser prioridade, porque tinha que começar outra, que, claro, também não será entregue no prazo."

DEMOCRACIA?

O advogado e frequentador do Espaço Alternativo, como centenas de pessoas que para lá vão, praticar exercícios ou fazer sua caminhada diária, escreveu ainda, sobre o assunto: "Esta observação na verdade retrata uma verdadeira briga de órgãos disputando os holofotes e tentando se sobrepor aos Poderes Judiciário, Legislativo e Executivo. Ainda bem que vivemos numa democracia!,", ironiza Pedro Origa.

SEBRAE FECHADO

Vai completar um ano a intervenção federal no Sebrae de Rondônia. O governador Confúcio Moura, nesta semana, protestou com veemência contra essa absurda situação do órgão, tão importante para o apoio à pequena e média empresa no Estado, dizendo que ele está "completamente fechado", e sem apoiar o setor. Uma suspeita de desvios de recursos no órgão, que acabou até com a prisão de ex dirigentes, causou a intervenção. Mas ninguém imaginaria que a nova diretoria fechasse o Sebrae para Rondônia.

REDOMA

Com mando de interventores sem ligação com o Estado, sem saber da nossa realidade e necessidades, mas que vieram com carta branca para fazer o que quisessem, deu no que deu. A intervenção, que deveria ser parcial e de pouca duração, se transformou em ato perene. Pior de tudo é que a nova superintendente e os diretores indicados se colocaram (segundo denúncias de empresários e autoridades), numa redoma e não dão bola pra ninguém. Nem cumprem contratos antigos. Lamentável!

ALGUÉM AÍ TRADUZA!

Quanto menos fala, melhor para ela. Porque quando abre a boca para falar sobre economia, Marina Silva só dá bola fora. Seus adversários vão deitar e rolar sobre alguns dos seus discursos. Como o que aparece num vídeo dos tempos em que ela era senadora. Se alguém entender alguma coisa da análise que ela fez sobre a economia mundial, ganha um prêmio. Para ver, vá no link: https://www.facebook.com/video.php?v=377211325763818&fref=nf

POBRE E SOZINHO

A morte de Jerônimo Santana ainda é assunto no Estado. Sua memória mereceu muitas homenagens, mas a verdade tem que ser dita: ele morreu solitário e pobre. Ele ajudou muitos políticos, mas poucos foram os que lembraram dele. Não fosse a pensão que recebia do Estado, exatamente como seu ex mandatário, Jerônimo corria o risco de ter passado seus últimos anos na pobreza. Lamentável!

PERGUNTINHA

Se Marina Silva ganhar a Presidência, quanto tempo depois o PMDB jurará a ela fidelidade eterna?

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS