close
logorovivo2

Na abertura do segundo semestre do ano Legislativa, Valter Araújo e Confúcio Moura garantem que há harmonia entre os Poderes

o governador de Rondônia, Confúcio Moura elogiou o trabalho feito pelos deputados estaduais que vem contribuindo para o crescimento e enriquecimento de Rondônia. Relatou as dificuldades de ser um parlamentar, onde não se tem dia nem hora para atender o p

DA REDAÇÃO

2 de Agosto de 2011 às 19:13

Na abertura do segundo semestre do ano Legislativa, Valter Araújo e Confúcio Moura garantem que há harmonia entre os Poderes

FOTO: (Divulgação)

A Assembleia Legislativa abriu na tarde desta terça-feira (2) o segundo semestre do período ordinário da atual legislatura. Os trabalhos foram dirigidos pelo deputado Valter Araújo (PTB), presidente do Poder Legislativo, e contou com a presença do governador Confúcio Moura (PMDB), do conselheiro José Gomes de Melo, presidente do Tribunal de Contas, do defensor público José Francisco, de prefeitos municipais e de secretários de Estado.
 
O deputado Valter Araújo agradeceu aos demais deputados. “Nos primeiros seis meses, todos nós procuramos manter a harmonia entre os poderes e a unidade da Casa. Agradeço aos servidores pelo trabalho desenvolvido e a imprensa pela divulgação do nosso trabalho”, disse. O presidente agradeceu o governo pelo perfil que tem Confúcio Moura. “Agradeço a disposição de liberar emendas dos novos deputados para atender a base eleitoral do parlamentar. Nós aprovamos o contingenciamento de R$ 48 milhões de emenda no orçamento deste ano para facilitar a administração de Confúcio Moura, que se iniciava”.
 
O defensor público geral, José Francisco, desejou trabalho profícuo aos parlamentares. Garantiu que a DPE vai buscar o coletivo, as pessoas carentes. “A Defensoria tem semelhança com a Assembleia na busca dos interesses dos cidadãos. Tenho recebido visitas de deputados e desejo que essas visitas continuem. Vamos atender pedidos dos parlamentares dentro das necessidades da Defensoria Pública”, assegurou.
 
José Gomes de Mello, presidente do Tribunal de Contas do Estado, colocou sua instituição como parceiro da Assembleia Legislativa na boa aplicação dos recursos públicos e em benefício da coletividade. “Será um ano que os deputados vão se debruçar no PPA (2012 a 2015). “Essa lei é o que disciplina a administração pública”. Disse que, em 2012, o governador Confúcio Moura vai governar com o orçamento que está participando.
 
Já o vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Hermínio Coelho (PT), disse que o início do mandato serviu para se ajustar. Lembrou que Confúcio Moura foi eleito pela maioria que desejava mudança. Porém, ressaltou que o setor de saúde não avançou e observou que o sistema penitenciário é muito ruim em Rondônia.
 
Hermínio frisou que a transposição dos servidores do Estado para o quadro da União vai ser muito bom para Rondônia. Ele lembrou a questão do Iperon, que tem problema, afirmando que a realidade é preocupante. “Quero ajudar o governo. O governador é uma pessoa do bem. Peço ao governo para se discutir o potencial de cada região do Estado com cada parlamentar representante. Serei crítico e na hora que for preciso. Mas quero ajudar o governo a melhorar a educação, saúde e o salário do servidor público”.
 
O líder do governo, deputado Edson Martins (PMDB), falou da responsabilidade dos deputados e agradeceu o apoio dos parlamentares. Pediu maior aproximação do Executivo e dos deputados para ajudar o governo. Pediu a compreensão dos deputados na apreciação dos vetos que chegaram ao Legislativo. Reivindicou o estreitamento do diálogo entre governo e a Ale. Falou sobre a independência, mas não interferência.
 
O deputado Euclides Maciel (PSDB) disse que a Assembleia Legislativa tem demonstrado em todos os sentidos que quer ser parceira do Governo. Cobrou do governador Confúcio Moura para que os deputados sejam avisados quando ele estiver no interior para que possam acompanhá-lo em seus municípios. Falou ainda, que recebeu o relatório da Usina de Santo Antônio, sendo que foi informado que 96% das compensações já foram executadas na capital e isso assusta, porque não está vendo onde. Ressaltou que a Assembleia trabalhou e vai continuar trabalhando com transparência. "Quanto ao Governo, reconheço que recebeu uma herança maldita, como a situação das escolas que estão em estado precário, delegacias destruídas. Mas acredito que o atual Governo vai deixar um exemplo para o país: a saúde" salientou.
 
Durante discurso na tarde desta terça-feira (2), o governador de Rondônia, Confúcio Moura elogiou o trabalho feito pelos deputados estaduais que vem contribuindo para o crescimento e enriquecimento de Rondônia. Relatou as dificuldades de ser um parlamentar, onde não se tem dia nem hora para atender o povo. “Os parlamentares correm o dia todo para atender os anseios da comunidade”.
 
Confúcio fez um chamado especial ao secretariado, para uma atenção especial aos deputados. De acordo com ele, muitos secretários não tinham o hábito do diálogo com os parlamentares. “Faltava afinidade com isso”, disse. Continuando destacou que é preciso entender as necessidades de cada um. “Quando ele bate na porta da secretaria, o deputado quer uma ajuda, um socorro. Quer levar as bases boas noticias”, por isso é preciso se esforçar mais para que os 24 representantes do povo sejam mais bem atendidos.
 
O governador relatou ainda viagem feita ao Mato Grosso, onde participou de reuniões com prefeitos da Região Norte. Disse que não é só Rondônia que enfrenta problemas na saúde, educação e segurança pública, e que espera a união dos poderes, especialmente, dos deputados estaduais para que o estado cresça cada vez mais.
 
Confúcio Moura afirmou que o governo vai valorizar a classe educacional. “Os professores precisam ser mais valorizados, com prêmios aos melhores, prêmios para as melhores escolas e gratificação ao bom educador, quem sabe até com viagem internacional”. Para encerrar disse que não existe queda de braço. Ninguém está medindo forças. Estamos desarmados e queremos realizar uma marcha para promover Rondônia. “Vamos trabalhar numa fina sintonia”.
 
Por fim, o deputado Valter Araújo disse que “às vezes somos mal interpretados por defendermos ações de interesse público. Na questão da greve da Polícia Militar e do conflito em Buritis atuamos firmes, mas não houve ingerência”. O presidente da Assembleia Legislativa pediu ao governador o envio ao Parlamento Estadual de projeto que visa corrigir a questão dos professores, garantindo que não existe briga entre governo e Assembleia, já que dos 79 projetos do Executivo a Ale aprovou 79%. “Não acredito em oposição. Há herança é maldita no governo e na Assembleia. A culpa não é do governador nem das últimas administrações da Casa de Leis.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS