close

CPI para quê?

POR VALDEMIR CALDAS

30 de Outubro de 2019 às 10:13

A expressão CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito -, pelos efeitos benéficos que já trouxe ao país, ganhou uma conotação que ultrapassa até mesmo os limites técnicos de seu conceito. Há, porém, CPI e CPI. Foi por meio de uma CPI que se tirou um presidente corrupto da presidência da República e se desbaratou uma gang que usava o orçamento da União como gazua para a prática de imoralidades.

 

Por outro lado, tivemos CPI’s que não produziram nenhum resultado concreto. Muitas delas foram criadas com o objetivo de tumultuar ações de cunho social, visando, sobretudo, atender interesses eleitoreiros e fisiológicos de seus mentores, e não como sinônimo da busca da verdade.

 

É comum, nos momentos de crises e às portas de pleitos eleitorais, políticos proporem a criação de CPI’s como tática para se mostrar preocupados com tudo, colocando asas morais e cívicas para voos altaneiros em céus mais escampados, buscando, assim, manter as coisas no estado em que se acham. No fundo, poucos são os que estão preocupados com as dificuldades pelas quais passa a sociedade.

 

Não se trata, contudo, de ser contra a criação de CPI’s, desde que, evidentemente, elas cumpram a função para a qual foram instituídas. Infelizmente, o que se tem visto, hoje, é o egoísmo falando mais alto que o espirito público. Em lugar de convicções poderosas, o que se observa é mais ambição do que convicção.

 

Agora, mesmo, a Assembleia Legislativa de Rondônia criou uma CPI para investigar a Energisa. Como cidadão e consumidor, até que me tenho esforçado para acreditar que ela gerará resultados práticos e duradouros, que contribuam de alguma maneira para coibir as investidas abusivas contra o povo rondoniense, mas os fatos não deixam. Por acaso alguém se recorda de alguma CPI, criada pela ALE/RO, que tenha coloca as coisas nos eixos e trazido benefícios à população?  Então, CPI para quê?

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS