close
logorovivo2

Os tempos são outros

POR VALDEMIR CALDAS

24 de Abril de 2019 às 08:24

Se você é gestor público e não quer ser incomodado pela vigilância indômita do Tribunal de Contas de Rondônia procure aplicar corretamente os recursos financeiros de que dispõe para promover ações de interesse da sociedade. Repita-se, de interesse da sociedade, da comunidade, da população, enfim, do povo, e não privilégios pessoais ou de grupos. Caso contrário, é melhor preparar o bolso porque as multas geralmente são salgadíssimas. 

 

Agora mesmo, informa-nos o site Rondônia Dinâmica de que o TCE-RO enquadrou um punhado de gente, por desrespeito ao limite permitido para gastos com pessoal, como manda a Constituição Federal. A multa teria superado à casa de R$ 1 milhão de reais. É sempre assim. Todos os anos, o TCE-RO condena um monte de gente a ressarcir o erário por conta de supostas irregularidades, mas parece que a turma não aprende, insistindo em velhas e manjadas práticas. Acham que vão conseguir engambelar os competentes técnicos daquela Corte.  E ai a casa cai.

 

Interessante observar, porém, é que, quando se trata de conceder um mísero reajuste salarial ao funcionalismo público, ou até mesmo a recomposição salarial, que é um imperativo constitucional, sempre aparece alguém para dizer que não pode porque a folha de pagamento está no limite, mas, na hora de encher as repartições públicas com a contratação de parentes, aderentes e cabos eleitorais, às favas os parâmetros constitucionais. É bem verdade que alguns erram por ignorância, mas a maioria sabe perfeitamente o que está fazendo e age, deliberadamente, no sentido de burlar os procedimentos recomendados para a gestão dos recursos financeiros.

 

As coisas estão mudando. Não, evidentemente, na velocidade que a sociedade gostaria, mas estão caminhando. O Brasil não é mais aquele país onde os chamados crimes de colarinho branco eram tratados condescendentemente ou engavetados. Por isso é bom começar, desde já, a adotar outra postura. O TCE-RO tem sinalizado para uma ação cada vez mais firme do órgão em relação aos maus gestores dos dinheiros públicos. Os tempos, verdadeiramente, são outros.

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS