close
logorovivo2

Não corra atrás das hienas do passado

POR VALDEMIR CALDAS

26 de Julho de 2018 às 11:04

(*) Valdemir Caldas

 

 

 

É muito importante que o eleitor rondoniense não se deixe levar pelas insinuações capciosas, nem pela vozearia das hienas do passado, que, a cada eleição, aparecem prometendo céu e a terra ao povo. Depois, desaparecem, como fumaça.

 

Em ocasiões assim, despontam, também, os cabeças ocas, com ideias mirabolantes, discursos vazios e acuações levianas, tentando comprometer a imagem de pessoas sérias, procurando, apenas, desencaminhar o eleitor desavisado, levando-o a inutilizar o seu voto, como sinal de protesto contra uma situação, criada, evidentemente, não por culpa do candidato que se apresenta com projetos e propostas palatáveis, mas, sim, pela incompetência de uma súcia de espertalhões.

 

Oficialmente, a campanha eleitoral ainda não começou, mas já se percebe a quantidade de lixo que se apresenta como postulantes aos mais variados postos de mando da Republica, disseminando no seio da população acusações contra desafetos com os quais chafurdaram na pocilga da malandragem, achando que a sociedade é composta apenas de energúmenos para acreditar em contos de fadas.

 

Por isso, é muito importante que o povo não corra atrás dessas hienas, que vivem a todo o momento mostrando os dentes, como se estivessem rindo da nossa cara. Muitos não passariam incólumes em frente ao prédio da Policia Federal. Pelo contrário, não podemos deixar passar a oportunidade para mostrar a essa gente que estamos cansados de roubalheira, de falsidade e de espertezas.

 

Temos uma arma poderosa. O voto é o instrumento democrático de que dispomos para mandar sepultar os enganadores da consciência social, com suas amoralidades, falsidades e mania de grandeza. A nossa decisão precisa ser apartidária, uma escolha consciente e séria, naqueles que julgarmos mais capazes, pela postura, pela grandeza de caráter e pelas garantias de suas ações de governo. Não vamos fazer do nosso voto um instrumento para o deboche ou para a galhofa, tampouco para satisfazer privilégios pessoais ou de grupos, ou de quem não tem compromisso com Rondônia e, principalmente, com o seu povo mais sofrido.

 

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS