close
logorovivo2

Sob ameaça de ter de registro de candidatura indeferido, Rosani Donadon perde força em Vilhena

POR ALAN ALEX

15 de Maio de 2018 às 08:57

Um episódio envolvendo o fiscal de trânsito da prefeitura, Elcione José Sales e uma família inteira de trabalhadores, ocorrida na semana passada, causa revolta e indignação à sociedade. Para resumir a conversa, o fiscal, que estava afastado de suas funções há mais de 30 dias por um processo administrativo referente a abusos ocorridos em 2017, vestiu sua farda e autuou seu vizinho, um pedreiro que moveu uma ação de cobrança contra o fiscal. Enfurecido diante de sua impotência contra um agente público abusador, o pedreiro destruiu seu carro e terminou preso, junto com sua esposa e sogro. Na Central de Polícia, um advogado que representou a família, Breno Mendes, deu voz de prisão ao agente da Secretaria de Trânsito por ter usado o cargo para coagir um cidadão. 

 

O problema

 

É o dano causado ao pedreiro e sua família. A humilhação, o tempo perdido, o trauma de uma ação protagonizada por um agente público totalmente despreparado, e reincidente nesse tipo de conduta, tanto que estava afastado de suas funções. Fica a pergunta, e se esse agente andasse armado, como quer a categoria, e ele disparasse contra o pedreiro, que cometeu o crime de ser pobre e de ter tido a coragem de buscar um direito seu na justiça. Não que todos os agentes de trânsito sejam problemáticos, mas que a situação exige uma reflexão e principalmente questionamentos sobre a capacidade cognitiva dessas pessoas que estão nas ruas para proteger a sociedade, isso é indiscutível. Tem que voltar o psicotécnico e acabar com esses “mandados de segurança” que são concedidos a pessoas com capacidade questionável. 

 

Olha essa

 

Não apenas uma, mas várias pessoas já relataram à PAINEL POLÍTICO que Mariana Carvalho pretende insistir em ser candidata a governo mesmo tendo pactuado com Expedito Júnior que quer apenas disputar sua reeleição. Ela teria “dado um prazo” até o final de junho para que o ex-senador definisse se ele disputará ou não o governo, do contrário ela vai para a briga. A deputada estaria inclusive organizando uma equipe para executar o projeto. Mas, ela esbarra em uma situação complicada, quem tem mais delegados com poder de voto é Expedito. Ele, assim como ela, nega que exista qualquer tipo de conflito em relação a esse assunto, mas onde tem fumaça tem fogo, e Mariana, para quem não sabe ou não lembra, passou a rasteira no PSDB e contra a vontade do partido elegeu-se para a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Portanto, seu passado depõe contra…

 

Enquanto isso

 

Em Vilhena a situação anda bem complicada para a candidata (?) Rosani Donadon. É que o Ministério Público Eleitoral entrou com pedido de impugnação do registro de candidatura dela, tendo vista a ex-prefeita ter tido seu mandato cassado por estar irregular nas eleições de 2016. Como ela deu causa a nulidade do processo eleitoral, em tese não pode concorrer na eleição suplementar marcada para o próximo dia 3. Só que a campanha de seu adversário, Eduardo Japonês (PV) já está na rua, com carros adesivados e até comitê de campanha. E Rosani, que pode ser substituída caso não consiga o registro, não tem como colocar o “bloco na rua”, tendo em vista sua situação indefinida. 

 

Portanto

 

Enquanto o pedido do MPE não for julgado, ela fica em “stand by”, o que vem sendo muito bom para seu adversário, que vem agregando lideranças e os insatisfeitos com Rosani. Como, segundo alguns de seus ex-correligionários e apoiadores, ela não cumpriu acordos feitos em 2016, agora na suplementar ela está se vendo abandonada. Na cidade o clima é de “agora é a vez do Japonês”.

 

A maior cobrança porém

 

Vem da população de Vilhena, que ficou à ver navios em relação as promessas feitas por Rosani durante a campanha de 2016, entre elas a de que colocaria 100 médicos à disposição da comunidade. Dizem as más línguas que o povo não entendeu direito a promessa, que seria “sem médicos, e não cem médicos”. Servidor público efetivo não quer nem ouvir falar em Rosani, “ela só nomeia parentes e amigos”, disse um deles à PAINEL POLÍTICO. Vilhena está abandonada e até o distrito industrial virou um “distrito habitacional”, já que a então prefeita distribuiu terrenos que deveriam ter sido doados à empresas para habitações. Nos próximos dias estaremos mostrando um panorama mais abrangente da real situação da cidade que é a porta de entrada do Estado.

 

Fora da curva

 

O empresário Ivan Rocha, conhecido em Porto Velho como “Ivan da Saga”por ter sido garoto-propaganda da empresa durante alguns anos, teve um desentendimento com os empresários Vagner Jobel e Isac Portela que foi parar na justiça. Ivan perdeu a ação, tanto em primeiro grau quanto no recurso e fez um desabafo em seu perfil no Facebook com graves insinuações contra o Tribunal de Justiça. O gracejo teve resposta dura e rápida do presidente do TJRO, Walter Waltenberg que prometeu acionar judicialmente o empresário. Para saber mais sobre o caso e entender o processo, CLIQUE AQUI.

 

Explicando

 

Na semana passada, em função de compromissos pessoais não foi possível atualizar a coluna, mas agora vamos manter nossa programação normal. Não deixe de baixar (e visitar todos os dias) nosso aplicativo para Android na PlayStore. Ainda este mês estaremos com a versão para IOs.

 

Cura para calvície pode estar próxima, mostra novo estudo

 

A calvície afeta cerca de metade dos homens até os 50 anos de idade, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), e é um problema que até hoje não tinha uma solução médica definitiva. No entanto, pesquisadores descobriram uma potencial cura para ela usando um remédio originalmente criado para tratar a osteoporose. Durante testes de laboratório, os cientistas identificaram que a droga teve um efeito forte sobre os folículos pilosos, estimulando-os a crescer. Ela contém um componente que tem como alvo uma proteína que atua como um freio no crescimento do cabelo e seria uma das responsáveis pela calvície. Atualmente, apenas dois remédios estão disponíveis no mercado para tratar calvície (alopécia androgenética): o minixidil (para homens e mulheres) e a finasterida (só para homens). Os dois têm efeitos colaterais e não são plenamente eficientes sempre. A pesquisa, publicada na revista médica PLOS Biology, foi feita em laboratório com amostras de folículos do couro cabeludo de mais de 40 pacientes homens que passaram por transplante de cabelo. Os pesquisadores, da Universidade de Manchester, primeiro aderiram a uma antiga droga imunossupressora, a ciclosporina A, usada desde a década de 1980 para impedir a rejeição de órgãos transplantados e para reduzir os sintomas de doença autoimune. Os cientistas descobriram, então, que essa droga reduziu a atividade de uma proteína chamada SFRP1, que é uma importante reguladora de crescimento que afeta muitos tecidos, incluindo os folículos pilosos. Mas por conta dos efeitos colaterais, a CsA não era adequada para o tratamento de calvície. A equipe começou a analisar, então, outros agentes que tinham como alvo a SFRP1 e descobriram que a WAY-216606 era ainda melhor para inibir a ação da proteína. Hawkshaw afirmou que o tratamento pode “fazer a diferença de verdade para pessoas que sofrem com a queda de cabelo”.

MAIS COLUNAS

Alan Alex

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS